No dia que completa dois anos de Flu, Abel pode ter liderança de presente

Treinador reestreou dia 12 de junho de 2011 contra o Timão

Por pedro.logato

São Paulo - Dois anos vestindo as três cores que traduzem tradição. Desde 2011 no Tricolor, Abel comandou a equipe em 134 jogos, obtendo 74 vitórias, 25 empates e 35 derrotas. Somado a passagem em 2005, o técnico já esteve a frente do Tricolor por 209 vezes, sendo o terceiro treinador com mais jogos no Flu, atrás apenas de Zezé Moreira, com 474 jogos, e Ondino Vieira, com 300. Nesta quarta-feira, o comandante pode comemorar a data histórica com a liderança do Brasileiro. Caso vença a Portuguesa, no Canindé, o Tricolor vai para a pausa para a Copa das Confederações em primeiro lugar da competição.

Abel quer vencer para ser líderDivulgação

Começo difícil

A relação entre o Flu e Abel Braga é um casamento que viveu problemas, mas que sempre foi marcado por muita intensidade. Ao esperar quase três meses pelo treinador, o Fluminense fazia uma aposta que para muitos era de muito risco. Na ocasião, o clube, assim como na atual temporada, era o campeão brasileiro, e passava por um momento complicado, depois da tumultuada saída de Muricy.

Abel retornou ao Flu depois de seis anosDivulgação

O começo de Abel não foi bastante tranquilo. Não apenas pela derrota na estreia diante do Corinthians, no dia 12 de junho de 2011. Os dois gols marcados por William não foram, nem de longe, o principal problema do treinador ao chegar as Laranjeiras. A irregularidade da equipe no início do Brasileirão assustava. De quebra, Abel teve que lidar com problemas envolvendo a torcida e o elenco, casos dos atacantes Fred e Rafael Moura, perseguidos por torcedores após um encontro com mulheres em um bar da Zona Sul do Rio de Janeiro. Na ocasião, o camisa 9 ameçou deixar o Tricolor, mas acabou sendo convencido a permanecer.

Com seu estilo carinhoso, Abel conseguiu conquistar o elenco e as vitórias retornaram às Laranjeiras. Com uma grande arrancada no segundo turno, o Tricolor quase chegou ao bicampeonato brasileiro. No fim, a terceira colocação e classificação para a Libertadores, a segunda seguida para o Tricolor, algo até então inédito.

2012: Ano dos títulos e da consolidação 

Treinador foi campeão carioca e brasileiro pelo Flu em 2012Divulgação

No ano seguinte, com reforços pedidos por Abel, somado a espírito do Time de Guerreiros, o Tricolor, junto ao seu comandante, teve um ano glorioso. Nem mesmo a eliminação traumática nas quartas de finais para a Libertadores, com um gol no último minuto do Boca Juniors, foi capaz de deter o Fluminense, que levantou mais um título do Brasileirão. Com uma vitória diante do Palmeiras, o Tricolor levou o tetra com três rodadas de antecedência. Para o treinador, o gosto foi especial, pois Abel ainda não havia vencido a competição. O ano foi ainda mais vitorioso, já que o Flu havia sido campeão estadual no começo da temporada.

Queda na Libertadores e possível recomeço

Em 2013, Abel e o Fluminense vivem um momento de renovação. Após as eliminações no Carioca e na Libertadores, o elenco sofreu a perda de Wellington Nem. Além disso, outros jogadores podem deixar e chegar ao clube. Apesar de alguns atritos com a torcida, o comandante segue com prestígio no Tricolor. Para a atual temporada, Abel Braga já deu o recado a todos os torcedores: a meta é retornar a Libertadores, com duas competições em disputa, Brasileiro e Copa do Brasil, que há de apostar contra o Flu de Abelão. A chance de embalar no Nacional começa nesta noite.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia