Diretor do Fluminense minimiza venda de atletas: 'Perdemos apenas dois'

Para Rodrigo Caetano, saídas de Thiago Neves e Wellington Nem não são responsáveis pela queda de rendimento da equipe na temporada

Por rafael.arantes

Rio - Campeão brasileiro e carioca na última temporada, o Fluminense não conseguiu manter o desempenho nos últimos meses e acabou demitindo o treinador Abel Braga nesta segunda-feira. A saída de importantes jogadores, como o meio-campista Thiago Neves e o atacante Wellington Nem, não agradaram a alguns torcedores e foram apontadas como um dos principais motivos da queda. No entanto, o diretor de futebol do clube, Rodrigo Caetano, negou que a piora tenha relação com as transações dos atletas.

"Assim como a maioria dos clubes brasileiros, perdemos apenas dois jogadores, não queríamos que eles saíssem. O Thiago era muito questionado pela torcida, mas agora parece como grande fator da queda de rendimento. Com nosso aproveitamento atual (33,3%), algo precisava ser feito. Vamos esperar a reação e, quando a situação financeira voltar ao normal, podemos pensar em alguma contratação", explicou.

Rodrigo Cetano descarta problemas após saídas de jogadoresDivulgação

Presente em 29 partidas na última edição do Campeonato Brasileiro, sendo 27 como titular, Thiago Neves havia se fixado como peça fundamental no meio-campo da equipe. Entretanto, assim como boa parte do restante do elenco, o atleta caiu de desempenho nesta temporada. Com isto, acabou vendido por 6 milhões de euros (aproximadamente R$ 18,07 milhões) ao Al-Hilal (Arábia Saudita). O Fluminense ficou com 1,2 milhões de euros (cerca de R$ 3,6 milhões) pela negociação.

Wellington Nem, por sua vez, trocou o clube tricolor pelo Shakhtar Donetsk por 9 milhões de euros (por volta de R$ 27,1 milhões). O atacante disputou 27 confrontos na campanha do tetracampeonato brasileiro, sendo titular em 26 deles, e balançou as redes em seis oportunidades. Antes de ser negociado, o jogador havia manifestado vontade de permanecer no time carioca.

Agora, a expectativa é de que o Fluminense acerte com atletas para substituir a dupla. A Unimed, principal parceira do clube tricolor, foi responsável por algumas das maiores contratações nos últimos anos, como o centroavante Fred e o meio-campista Deco. O presidente da seguradora, Celso Barros, quer que Vanderlei Luxemburgo seja o novo treinador da equipe.

"Existe um investimento pesado da Unimed na manutenção do elenco. O Rafael Sobis e o Jean foram adquiridos recentemente, mas casos assim passam desapercebidos. Os resultados negativos motivam possíveis contratações, mas é necessário ter um bom nome e condição financeira para isso", encerrou Rodrigo Caetano.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia