Em reencontro com Abel, Fluminense quer a liderança do Brasileirão

Cristóvão conta com o legado deixado pelo técnico do Internacional para vencer

Por bernardo.argento

Rio - Dez meses após sua demissão, Abel Braga, sob o comando do Internacional, reencontrará o Fluminense hoje, às 18h30, no Moacyrzão, disposto a colocar seu legado à prova. Responsável pelo elogiado futebol apresentado pela equipe tricolor no início do Brasileiro, Cristóvão Borges revelou que a herança deixada pelo técnico, campeão nacional em 2012 pelo clube das Laranjeiras, reflete em seu trabalho.

“Abel montou um Fluminense de alta qualidade, assim como o Inter e todas as suas equipes. Com toque de bola, com identificação com o nosso futebol brasileiro. O Fluminense que eu peguei é desse jeito, foi vitorioso assim. Ele está fazendo a mesma coisa no Inter. É um treinador que privilegia a técnica. Essa é a marca que ele deixou nesse grupo”, elogiou Cristóvão Borges.

Cristóvão Borges conta com o legado deixado pelo técnico Abel Braga para vencer o InternacionalMárcio Mercante / Agência O Dia

Apesar da distância da torcida, o Fluminense pretende fazer o dever de casa em Macaé. A derrota para o Atlético-MG foi superada sem traumas. De olho na ponta da tabela, Cristóvão Borges vê o Colorado como um dos candidatos diretos na disputa pelo título em dezembro. Na última rodada antes da pausa para a Copa do Mundo, a missão é se despedir com mais uma vitória convincente e, de preferência, com a liderança.

“O recesso será longo. Quem terminar na ponta vai respirar com tranquilidade para se programar melhor para a volta. Outros terão mais dificuldades. O campeonato não tem refresco. Precisamos nos sair bem nessa rodada. Há muitos adversários próximos e, numa derrota, perde-se muitas posições. Para nós é uma grande decisão”, afirmou Cristóvão.
Apesar da confiança, o comandante tricolor não desfez o mistério na zaga e não antecipou quem jogará ao lado de Gum hoje. Fabrício e Wellington Carvalho disputam a vaga numa disputa saudável.

“Ainda não defini a zaga. Aqui todo mundo briga por posição. Vejo isso pelo lado positivo e incentivo. É bom para ter crescimento individual e coletivo. Estimulo isso. É uma disputa sadia que deixa o Fluminense mais forte”, revelou Cristóvão.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia