Flu lava roupa suja após vexame

Reunião e explicação marcam a quinta-feira do Tricolor

Por fabio.klotz

Rio - Pressionado por todos os lados, o Fluminense se transformou num barril de pólvora após a vexatória derrota por 5 a 2 para o América-RN. Do futebol vistoso, elogiado pelo bom toque de bola, à catastrófica eliminação precoce da Copa do Brasil e que, por ora, não cortará cabeças nas Laranjeiras. Em uma reunião de uma hora, de portas fechadas, nesta quinta-feira, a diretoria cobrou empenho da comissão técnica e jogadores e pediu que o tropeço não atrapalhe o desempenho no Brasileiro. Mas só o tempo dirá como o time reagirá.

Cristóvão Borges está prestigiado no FluminenseAndré Mourão

A expectativa era de que o presidente Peter Siemsen desse explicações sobre o ocorrido no Maracanã e revelasse o teor da conversa no vestiário. No entanto, foi anunciado que o vice de futebol Mário Bittencourt falaria com a imprensa. Este, porém, alegou que tinha uma reunião e coube ao diretor executivo Paulo Angioni dar as caras.

“Todos estão extremamente chateados. Foi um revés dos mais brutos, com consequências nada satisfatórias. Aproveito para me desculpar com os torcedores. A vida segue, a gente tem que olhar para frente, para o jogo contra o Botafogo”, afirmou.

Segundo o diretor de futebol, o momento é de colocar a cabeça no lugar e analisar os erros. Não haverá caça às bruxas e não há hipótese de se jogar o trabalho de Cristóvão Borges no lixo. Paulo Angioni vai além e crê no amadurecimento do elenco para que a equipe siga na parte de cima da tabela do Nacional.

“O grupo tem um nível de inteligência alto, experiência também alto. E nós aproveitamos para conversar sobre esse assunto. E fazendo entender que o momento é de reflexão, a tristeza tem que permanecer, mas não atrapalhar. O grande salto de qualidade é olhar para o jogo do Botafogo e superar nessa caminhada no Brasileiro que tem sido muito satisfatória”, decretou.

A prova de que Cristóvão está fortalecido mesmo depois do vexame é que a diretoria já se movimenta para renovar seu contrato, que termina no fim do ano.
“Dependendo de conversas com ele (Cristóvão), com o Mário Bittencourt e com a patrocinadora, há o interesse em tê-lo até o fim do mandato do Peter (em 2016)”, revelou Angioni.

Busca por reforço para a zaga

O pífio desempenho da defesa contra o América-RN ligou o sinal de alerta e acelerou a busca por um substituto para Gum, que ficará parado por pelo menos três meses em recuperação de fratura na fíbula da perna esquerda. Cristóvão Borges avisou que quer mais um zagueiro e o diretor executivo Paulo Angioni reiterou a vinda do reforço.

“Precisamos de jogador que tenha condições de jogar. Pode não ser estelar, até porque não tem no mercado para contratar com facilidade, mas ele terá condições de vestir a camisa do Fluminense e honrá-la”, disse Angioni.

Para o clássico contra o Botafogo, uma boa notícia. Recuperado de dores no joelho esquerdo, Henrique treinou e deve jogar no lugar de Fabrício.

“Eles são os dois zagueiros, mas o Henrique estará recuperado. E procuramos contratar o mais rapidamente possível um jogador para a posição”, disse Cristóvão Borges.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia