Fluminense encara o Cruzeiro de olho no G-4 do Campeonato Brasileiro

Fred, no seu 500º jogo, é a arma para bater a Raposa e manter o sonho da Libertadores

Por bernardo.argento

Rio - De volta à estaca zero. É como o Fluminense se vê depois de desperdiçar mais uma oportunidade de se classificar à Libertadores, devido à eliminação na Copa Sul-Americana. O duro golpe desferido pelo Goiás aconteceu menos de um mês após a frustrante queda na Copa do Brasil, para o América-RN. Sob desconfiança, o Tricolor recebe o líder Cruzeiro neste domingo, no Maracanã, com a missão de reagir como espera seu torcedor. A volta ao G-4 do Brasileiro seria um bom começo para manter viva a última chance de carimbar o passaporte para a principal competição do continente em 2015.

“Esse negócio de obrigação não existe. O que temos é compromisso com vitórias e títulos. O Cruzeiro tem a vantagem, mas o campeonato é traiçoeiro. Se não der o título, buscaremos a Libertadores. O importante é estarmos sempre perto dos primeiros. Nesta rodada o importante é entrar no G-4”, disse Cristóvão.

Cristóvão Borges mostra confiança no Fluminense para o jogo contra o CruzeiroErnesto Carriço

Torcedor da Raposa na infância, Fred terá papel fundamental no Maracanã. Único atacante no esquema tricolor, ele tem correspondido à altura nos encontros com o ex-clube. Em seis jogos, fez cinco gols, venceu quatro vezes, empatou uma e perdeu outra. Em sua sexta temporada no Fluminense, sabe o que fazer para não deixar a crise voltar às Laranjeiras em seu 500º jogo como profissional.

“Fred é experiente, viveu muitas coisas. Independentemente de acontecimento e homenagem, ele está sempre muito motivado. É uma marca significativa para todos, e ele também vai estar feliz e motivado para nos ajudar contra o Cruzeiro”, ressaltou o comandante tricolor.

Conca perde aposta para Waltinho

A pressão pela volta do Fluminense ao G-4 não impediu que os jogadores se divertissem no último treino antes do duelo com o Cruzeiro. Numa inusitada e divertida disputa de cobranças de pênalti, Conca e Walter roubaram a cena nas Laranjeiras.

Ao perder duas penalidades, defendidas pelo quarto goleiro, Marcos Felipe, o argentino foi ‘obrigado’ a fazer flexões em pleno gramado. Waltinho também errou o último chute, mas não pagou a dívida.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia