Por pedro.logato

Rio - A semana que se inicia promete ser de definições para o Fluminense. A intenção do vice-presidente do futebol do clube, Mário Bittencourt, é anunciar a renovação com o técnico Cristóvão Borges na coletiva convocada para terça-feira, no salão nobre das Laranjeiras. No entanto, a contraproposta de prorrogação da diretoria até o fim de 2015 não envolveria reajuste, a princípio. Com vencimento na casa dos R$ 200 mil, Cristóvão voltaria a discutir o reajuste no decorrer da temporada.

Ciente da necessidade do clube de se refazer do baque causado pelo fim da parceria com a Unimed-Rio, o treinador adotou uma postura compreensiva e chegou a revelar que o aspecto financeiro não seria empecilho para o acerto. Hoje, Cristóvão e sua comissão técnica custam R$ 300 mil ao clube. Contrário à contratação, Celso Barros, presidente da antiga parceira, não participou financeiramente da operação, diferentemente do que ocorreu na passagem de Abel Braga, Vanderlei Luxemburgo, Dorival Júnior e Renato Gaúcho.

Cristóvão Borges deve continuar no FluminenseErnesto Carriço

A escolha de Cristóvão Borges foi um dos motivos do racha entre o presidente Peter Siemsen e Celso Barros. O mandatário não apenas bancou a permanência do treinador depois da eliminação da Copa do Brasil e da Sul-Americana como lhe ofereceu uma proposta de renovação antecipada em agosto. Cristóvão adiou a decisão, preocupado com a indefinição dos jogadores em fim de contrato e com o clima ruim pelo atraso no pagamento de salários e premiações ao grupo.

Depois do Brasileiro, o treinador se reuniu com a diretoria e sugeriu o reajuste de R$ 100 mil reais na folha da comissão técnica. Em fase de reajuste financeiro, a diretoria ofereceu contrato com o mesmo valor pago este ano. Com o fim da parceria com a Unimed, a cúpula tricolor tenta chegar a um entendimento com Diego Cavalieri. No clube desde 2011, o goleiro terá de diminuir a pedida na casa dos R$ 500 mil de salário, quase o dobro de seu vencimento atual. Gum é outro nome em fim de contrato que será obrigado a se encaixar na nova realidade para ficar.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

SIMONE É O NOVO EXECUTIVO DO FUTEBOL DO FLU

A diretoria do Fluminense anunciou Fernando Simone como novo diretor-executivo de futebol. Ex-gerente geral das categorias de base do clube, Simone substituirá Paulo Angioni, que foi desligado do cargo no fim do Brasileiro e acabou acertando com o Vasco.

A indicação do nome partiu do vice de futebol, Mário Bittencourt. Exposto com a crise revelada pelos jogadores nas últimas rodadas do Brasileiro, o dirigente cogitou a possibilidade de entregar o cargo. A escolha de Bittencourt é um sinal de força política e pressa no planejamento do futebol para a próxima temporada.

Você pode gostar