Ayrton Lucas admite que salários atrasados incomodam o grupo tricolor

Diretoria do Fluminense segue trabalhando para quitar dívida com jogadores e funcionários

Por O Dia

Ayrton Lucas -

Rio - Mesmo com dois salários e três direitos de imagem atrasados, os jogadores do Fluminense tentam não deixar interferir no campo. Mesmo assim, após duas vitórias fora de casa sobre Deportivo Cuenca e Chapecoense, o elenco tricolor desembarcou no Rio contando em receber logo. Em entrevista no aeroporto, Ayrton Lucas admitiu que o problema incomoda.

"É uma coisa que a gente não pode esconder que incomoda, mas no momento que a gente entra em campo tenta esquecer. Independentemente do que está acontecendo a gente tem que honrar a camisa que está vestindo", disse o lateral.

Na semana passada, o elenco tricolor se reuniu com o presidente do Fluminense, Pedro Abad, e apresentou sua insatisfação com os constantes atrasos, pedindo uma solução. No dia seguinte, o diretor de futebol tricolor, Paulo Angioni, prometeu em coletiva resolver o problema em curto espaço de tempo. Desde então passaram-se sete dias.

Para conseguir quitar sua dívida com jogadores e funcionários, que gira em torno de R$ 10 milhões, a diretoria finaliza a venda do atacante sub-17 João Pedro para o Watford, além de buscar o dinheiro referente aos 10% de lucro da venda de Richarlison ao Everton (cerca de R$ 17 milhões).

"Essas dificuldades são óbvias e públicas. É necessário resolver porque acaba dificultando, embora em momento algum jogador reclamou de treino, viagem. A diretoria está buscando essa solução, que espero ser o mais breve. Até esse momento não teve reflexo no campo porque temos um grupo muito profissional e comprometido", afirmou o técnico Marcelo Oliveira, acreditando ser possível melhorar o desempenho do time com a regularização dos salários.