Fluminense tem obrigação antes de tentar ser campeão

Tricolor já vislumbra o título da Copa Sul-Americana, mas ciente da missão de se livrar primeiramente do risco de queda no Campeonato Brasileiro

Por

Marcelo Oliveira comemora vitória sobre o Paraná
Marcelo Oliveira comemora vitória sobre o Paraná -

Rio - Nas quartas de final da Copa Sul-Americana, o Fluminense já vislumbra a possibilidade de conquistar um título na temporada, mas, por enquanto, ainda não pode se dar ao luxo de abrir mão do Campeonato Brasileiro. Ainda perto da zona de rebaixamento, o time de Marcelo Oliveira precisa somar 11 pontos para chegar aos 45 que o livrariam da degola. Entretanto, com uma sequência de três jogos no Rio antes de encarar o Nacional do Uruguai, dia 24, o Tricolor já pode encaminhar sua permanência para poder se dedicar à conquista inédita.

Se faturar nove pontos sobre Paraná, Flamengo e Atlético-MG, o Fluminense alcançará 43 a oito rodadas do fim do Brasileiro, o que praticamente o garantiria na Série A e permitiria poupar jogadores contra o Santos, já pensando no confronto de volta com o Nacional, que será no dia 31.

Com o elenco curto, o Fluminense pode até pensar na opção de poupar alguns nomes no jogo diante do Atlético-MG de olho no duelo de ida. Entretanto, essa possibilidade ainda vai depender muito de o time obter seis pontos contra o Paraná e o Flamengo.

DECISÃO CONTRA LANTERNA

Certeza no momento é que Marcelo Oliveira não vai colocar time reserva contra o lanterna Paraná, na segunda-feira. "Precisamos obter a pontuação necessária para não ter nenhum risco na parte de baixo da tabela. E depois a gente vai avaliar na data certa em relação ao time na Sul-Americana e no Brasileiro", explicou o treinador.

Por enquanto tentando focar em duas competições, o Fluminense vira a chave de volta ao Brasileiro e encara o lanterna Paraná como se fosse uma decisão. E uma vitória na segunda-feira é vista como importante para dar tranquilidade quando chegar o mata-mata novamente.

"Queremos vencer e distanciar do Z-4. Claro que respeitamos o Paraná, mas o jogo é dentro de casa. O fato de eles serem o lanterna não facilita. O Vasco empatou. Temos de encarar como se fosse o líder", avisou Digão.

Além de manter distância para a zona de rebaixamento do Brasileiro, um triunfo na segunda ajudaria a dar sequência à boa relação com a torcida tricolor após a bela festa contra o Deportivo Cuenca. "A gente fica mais forte com o apoio dos nossos torcedores", completou Digão.

 

Comentários