Fluminense não tem poder de barganha na busca por reforços

Dificuldade para trocar jogadores com outros clubes atrapalha

Por O Dia

O meia equatoriano Sornoza
O meia equatoriano Sornoza -

Rio - A dificuldade para trocar jogadores com outros clubes, algo que tanto atrapalhou a montagem do elenco de 2018, começa a acontecer também para a próxima temporada do Fluminense. Antes com a possibilidade de conseguir dois reforços por Sornoza, o Fluminense já se contenta apenas em receber dinheiro.

Uma história que volta a se repetir. Há um ano, o Tricolor tentou negociar Gustavo Scarpa com o Palmeiras, mas teve dificuldade de se acertar com alguns jogadores que desejava. Para piorar, o meia entrou na Justiça e o clube deixou de receber reforços e dinheiro.

A moeda de troca da vez é Sornoza, que já está acertado com o Corinthians, faltando detalhes para a transferência. Marquinhos Gabriel e Moisés chegariam às Laranjeiras por empréstimo em troca, mas o meia recebeu ofertas melhores (Grêmio, por exemplo) e desistiu. O lateral também não se acertou e ficou mais distante.

Desta vez, pelo menos, o Fluminense não vai ficar de mãos abanando. Os cerca de R$ 10 milhões que o Corinthians está disposto a pagar servirão para quitar dívida da compra do meia com o Independiente Del Valle, seu ex-clube no Equador.

Um nome que interessa é o de Guilherme Parede, do Coritiba. O diretor de futebol do Coxa, Rodrigo Pastana, confirmou ao site Globoesporte.com que Flu e Inter buscaram informações, mas que só aceita vendê-lo ou receber jogadores em troca.

Comentários