Assembleia para definir o futuro do Fluminense

Sócios votam hoje se aprovam ou não a antecipação da eleição deste ano para presidente

Por O Dia

Presidente do Fluminense, Pedro Abad aceitou diminuir seu tempo no cargo para buscar a paz política
Presidente do Fluminense, Pedro Abad aceitou diminuir seu tempo no cargo para buscar a paz política -

Rio - Sem muito tempo para comemorar a boa atuação diante do Americano, o Fluminense já se prepara para enfrentar a Portuguesa, amanhã, no Maracanã. Mas o futuro do clube para o restante da temporada começará a ser traçado, fora dos gramados, hoje. Após longa crise política, sócios e sócios-torcedores decidirão em votação nas Laranjeiras, das 9h às 18h, se aceitam a antecipação da eleição para presidente, inicialmente marcada para novembro.

Na Assembleia Geral convocada, Pedro Abad pede a aprovação de uma mudança no Estatuto do Fluminense para que seja convocada eleição para escolher novo presidente e conselheiros em 30 dias. Dessa maneira, o eleito ficaria até novembro de 2022. Ao não aceitar renunciar, o mandatário encontrou essa solução para evitar que o presidente do Conselho Deliberativo, Fernando Leite, assuma. Ele faz parte do grupo de Cacá Cardoso, ex-vice-geral que abandonou o cargo e virou oposição.

DIVISÃO ENTRE CACIQUES

A antecipação da eleição divide os caciques da política tricolor. Tanto que Fernando Leite convocou uma reunião extraordinária no Conselho Deliberativo nesta semana e a pequena maioria entre 80 conselheiros foi contrária à Assembleia. Há a preocupação de que haja briga judicial. Inclusive, um grupo de sócios chegou a entrar com uma liminar para impedir a votação de hoje, mas a Justiça não acatou o pedido.

Entre os favoráveis à antecipação da eleição estão Celso Barros, Mário Bittencourt e Ricardo Tenório. Eles formam um grupo e já avisaram que irão concorrer à presidência. Já o ex-vice de projetos especiais Pedro Antonio se mostrou contrário e não confirmou se irá se candidatar. Ele preferia que houvesse eleição para um mandato tampão até novembro, quando ocorreria novo pleito para o próximo triênio. O grupo Unido e Forte, de Cacá, queria a renúncia de Abad. Já a Flusócio se comprometeu a não participar do novo processo eleitoral.

Poderão participar da Assembleia todos os sócios e sócios-torcedores adimplentes. A diretoria do Fluminense ainda vai permitir que, quem estiver em dívida com o clube, possa quitá-la ainda hoje na secretaria para ser liberado para votar.

 

Comentários