Mais Lidas

O ponto mais fraco do esquema de Diniz

Nas quatro vezes que saiu atrás do placar, Flu não conseguiu a vitória

Por O Dia

Ganso: apagado contra o Resende
Ganso: apagado contra o Resende -

Assim que assumiu o Fluminense, o técnico Fernando Diniz fez questão de implementar seu estilo de jogo, que valoriza a posse e o toque de bola, rotacionando a equipe em uma tentativa de abrir espaços na defesa adversária para, quem sabe, dar o golpe de misericórdia. Mas como tudo na vida, existem vantagens e desvantagens. E o ponto fraco dos tricolores até o momento nesta temporada é a parte defensiva.

Em 11 jogos disputados nesta temporada, o Fluminense saiu atrás do marcador em quatro oportunidades e em nenhuma delas o time conseguiu virar o placar: foram duas derrotas (ambas para o Vasco) e dois empates (Volta Redonda e Resende) — nos demais jogos, foram seis vitórias e um empate sem gols. Apesar dos tropeços, o time sempre sai de campo com uma posse de bola impressionante, mas que nem sempre é refletida em remates ao gol.

Diante do Resende, na sexta, o Fluminense teve quase 80% de posse, mas ficou apenas no empate em 1 a 1 em Moça Bonita. Fernando Diniz creditou o tropeço às várias mudanças que teve de fazer na equipe, tanto por suspensão quanto por lesão.

"Sempre que você não consegue repetir a equipe, perde um pouco de entrosamento e eu gosto de repetir a equipe. Temos pouco tempo para treinar, então, a falta de entrosamento prejudica", afirmou.

"A gente tem que entrar nos jogos com a mesma concentração que apresentamos no segundo tempo. Essa tem sido a tônica do time. Demos uma vacilada e o Resende marcou após o chute desviar na nossa defesa", completou o técnico tricolor.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários