Luciano domina a bola, marcado por Ceppelini: o atacante tricolor perdeu chance incrível na etapa inicial -  JOAQUIN SARMIENTO / AFP
Luciano domina a bola, marcado por Ceppelini: o atacante tricolor perdeu chance incrível na etapa inicial JOAQUIN SARMIENTO / AFP
Por O Dia

Colômbia - A missão não era das mais difíceis em Medellín. Com a goleada por 4 a 1 no Rio de Janeiro, o Fluminense poderia até perder por dois gols de diferença e parece ter jogado para isso. Apesar do sufoco, a derrota por 1 a 0 para o Atlético Nacional-COL foi suficiente para o Tricolor se garantir nas oitavas de final da Copa Sul-Americana e agora vai enfrentar o Peñarol-URU, que venceu o Deportivo Cali por 2 a 0.

A vantagem considerável não trouxe tranquilidade à equipe de Fernando Diniz no primeiro tempo. Apesar da bola na trave de Yony, aos 2 minutos, o Atlético Nacional colocou fogo ao marcar no minuto seguinte com Barcos. O Fluminense poderia ter liquidado de vez o confronto, mas Luciano perdeu gol inacreditável aos 4, chutando para fora na pequena área e sem goleiro.

Sem segurar a bola, o Tricolor marcou mal. Barcos poderia ter feito o segundo aos 8, após bagunçar a defesa, mas a bola bateu na trave. Com o tempo, o Fluminense se encontrou em campo e passou a ficar mais no ataque, chegando até a pedir gol em toque de Matheus Ferraz que o goleiro tirou em cima da linha.
Após o intervalo, o Fluminense ficou irreconhecível, aceitando a pressão do Atlético Nacional sem ficar com a bola ou encaixar contra-ataques. Sorte que os colombianos não acertaram o último passe e a arbitragem não sinalizou pênalti de Agenor em Hayen Palacios.

Somente aos 20 o Fluminense apareceu com perigo, e Luciano chutou para fora. Mas foi o Atlético que chegou mais perto do gol com Vladimir Hernández desviando por cima de Agenor, e a bola foi para fora. Apesar do susto, o Tricolor soube segurar os colombianos para garantir o resultado e a classificação.

 

 

Você pode gostar
Comentários