Efetivação de Marcão é considerada, mas ainda é 'Plano B' no Fluminense

Tricolor do Rio levou a melhor sobre o Grêmio no Maracanã

Por Lance

Marcão
Marcão -
Rio - A vitória do Fluminense contra o Grêmio, neste domingo, por 2 a 1, no Maracanã, teve vários protagonistas dentro de campo. Nenê voltou a balançar as redes, Caio Henrique marcou pela primeira no Brasileirão, Daniel voltou à titularidade e foi aplaudido de pé pelos torcedores, Ganso teve atuação de destaque depois da discussão com Oswaldo de Oliveira. Mas, antes mesmo de a bola rolar, a torcida já tinha eleito o personagem da noite: Marco Aurélio de Oliveira, o popular Marcão. Aos 47 anos, o ex-volante comandou o time pela segunda vez em 2019 como interino e foi aclamado pela arquibancada antes, durante e depois do jogo.

No sábado, o grupo que invadiu o CT Pedro Antonio pediu, entre outras coisas, pela efetivação de Marcão, reprovando nomes como Lisca ou Zé Ricardo. A permanência de forma efetiva no cargo técnico ainda é plano B no clube. O próprio Marcão admitiu, na coletiva pós-jogo, que não foi procurado por ninguém, por ora.

- Vamos deixar durante a semana. Hoje não é isso o mais importante. O mais importante foi ter feito um grande jogo e dar alívio para nosso torcedor. Principal hoje não é o Marcão, mas sim o resultado e tudo o que aconteceu. Vamos continuar no dia a dia. Terça-feira estaremos trabalhando. Se vier a situação do jogo para o fim de semana, estamos preparados, vamos passar para eles as coisas e vamos fazer mais um jogo. Vamos esperar a semana - afirmou.

Confira a tabela de classificação do Campeonato Brasileiro

Marcão escapou pela tangente em todas as perguntas que ouviu sobre o desejo de ser efetivado. O elenco, por sua vez, o trata como unanimidade. A maneira como o Fluminense se comportou diante do Grêmio, privilegiando o estilo ofensivo implantado por Fernando Diniz, foi respaldado pelos jogadores. O meia Daniel salientou a vontade de atuar com a bola nos pés. O lateral-esquerdo Caio Henrique falou em "felicidade" em caso de manutenção de Marcão

Até o devido momento, a diretoria do Fluminense trabalha com ideia de contratação de um novo profissional. De acordo com apuração do LANCE!, Lisca é o preferido do vice-presidente, Celso Barros, mas encontra forte rejeição da cúpula de conselheiros. O presidente Mario Bittencourt vê em Zé Ricardo o perfil ideal, pela serenidade e por fazer parte da "nova geração".

Esse perfil é defendido por outros dirigentes. Porém, para esses, o alvo é outro: Mauricio Barbieri. O ex-treinador do Flamengo já vinha tendo o nome em órbita antes mesmo da queda oficial de Oswaldo de Oliveira. Barbieri já estaria ciente do interesse do Tricolor. Na última semana, Mario Bittencourt, Celso Barros e Paulo Angioni, diretor de futebol, reuniram-se primeiramente em Goiânia, depois da derrota para o Goiás por 3 a 0, e, na volta ao Rio de Janeiro, no CTPA, onde começaram a discutir os primeiros profissionais.

Depois da vitória contra o Grêmio, o Fluminense só volta a campo no domingo, para encarar o Botafogo, no Clássico Vovô, no Nilton Santos, às 16h. Décimo sexto colocado com 22 pontos, a semana será livre de treinamentos, e mais tranquila, após a vitória contra o Tricolor Gaúcho.

Comentários