Nino - Mailson Santana/Fluminense FC
NinoMailson Santana/Fluminense FC
Por Lance
Rio - Em entrevista coletiva, o zagueiro Nino, do Fluminense, lamentou os casos de jogadores contaminados pelo Covid-19 no clube e afirmou que não existe um protocolo seguro diante de um vírus que não se pode ver. Vale destacar que na manhã desta quarta, foi revelado que Ganso é mais um jogador a testar positivo para a doença, o décimo no Tricolor.
Publicidade
 
LEIA MAIS: SAIBA MAIS NOTÍCIAS DO FLUMINENSE

- A gente lamenta muito a situação do Covid com o Ganso e os outros nove jogadores. É uma situação que a gente sabia, da exposição que estamos todos os dias. Não existe protocolo seguro quando se luta contra um vírus, algo que você não consegue enxergar. Lamentamos todos dias com essa apreensão, com medo da contaminação, de colocar os funcionários em risco e os nossos familiares - lamentou o zagueiro

- A verdade é que nós nunca estivemos seguros. A gente luta contra algo que não conseguimos ver, então não existe protocolo seguro. Eu acho que o que deixa mais em estado de alerta são as viagens que não tinham no estadual e agora a gente enfrenta de avião, de ficar concentrado em hotel. É difícil falar em protocolo, quando nem a ciência sabe explicar. É dúvida total - frisou.

Além disso, no final da coletiva, o atleta relembrou a campanha de prevenção ao suicídio intitulada 'Setembro Amarelo' e enviou uma mensagem de apoio à todas as pessoas que convivem com esse tipo de pensamento.

- Hoje é o último dia de setembro. A gente vê a campanha do 'Setembro Amarelo', que é a prevenção do suicídio. Uma realidade muito triste que nós enfrentamos e eu queria deixar um recado. Talvez tenha alguém aqui assistindo ou que vá assistir depois, que esteja lutando contra pensamento: Você não está nessa luta sozinho, pode procurar ajuda de pessoas capacitadas a te ajudar. Não desista, a sua vida tem valor! - finalizou Nino.
Você pode gostar