Matheus Ferraz treina no CT. Defesa do Flu tem concorrência - Lucas Merçon / Fluminense / DIVULGAÇÃO
Matheus Ferraz treina no CT. Defesa do Flu tem concorrênciaLucas Merçon / Fluminense / DIVULGAÇÃO
Por Lance
Rio - Matheus Ferraz ganhou concorrência na zaga titular do Fluminense para o clássico com o Botafogo no próximo domingo, às 11h, no Nilton Santos, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. Digão está recuperado da lesão que sofreu na coxa esquerda no dia 14 de setembro, e passa a ser opção para o técnico Odair Hellmann no setor.

Ferraz retomou a posição na última segunda-feira, pois Luccas Claro foi diagnosticado com Covid-19. Além de contribuir para que o time não levasse gol, o camisa 3 ainda deu assistência para o parceiro de setor Nino fazer um dos gols da goleada tricolor por 4 a 0 sobre o Coritiba, no Maracanã.

— Nosso sistema defensivo tem sido muito competitivo. Todos que têm jogado têm dado o seu melhor, jogado bem. Isso faz com que a concorrência individual cresça, faz com que o jogador se dedique ainda mais. Assim eu vinha fazendo. A oportunidade apareceu, eu pude sair jogando no último jogo e agora me preparo para o próximo — disse Matheus Ferraz nesta sexta-feira, em entrevista coletiva no Centro de Treinamento Carlos Castilho, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio.

Na conversa com jornalistas, o zagueiro também comentou o momento em que vive o Fluminense. Apesar da goleada no último jogo, pelo Brasileiro, o time tricolor é pressionado pelos resultados em outras competições. Neste ano, o Tricolor foi eliminado da Copa Sul-Americana pelo Unión La Calera, do Chile, vice-campeão carioca diante do Flamengo, e, na semana passada, foi eliminado da Copa do Brasil para o Atlético Goianiense.

— Sabemos que em time grande, do tamanho do Fluminense, vai haver pressão. O time vinha carente nos últimos anos, tanto no Brasileiro, quanto na Sul-Americana e na Copa do Brasil, e não conseguimos classificar. Sendo assim, a pressão viria. Mesmo assim temos que manter o máximo de tranquilidade possível. Sabemos que a torcida não pode estar no estádio. Ela tem o direito de nos cobrar, porque ela nos ajuda, nos apoia, tem dado força para nós em todo o tempo. Só pedimos, porém, para que não ocorra qualquer tipo de violência, para que os torcedores possam nos ajudar, que possam confiar na nossa equipe daqui para frente, para que possamos batalhar juntos — disse Ferraz.
Você pode gostar