'Ser porta-bandeira influenciou na decisão de disputar os Jogos', diz Nadal

Tenista espanhol voltará a competir após dois meses afastado

Por renata.amaral

Rio - O tenista Rafael Nadal, que voltará a competir após dois meses da lesão no punho que sofreu em Roland Garros, reconheceu na quarta-feira que o fato de ter sido eleito porta-bandeira da delegação da Espanha nos Jogos Olímpicos teve uma grande influência para decidir disputar a competição porque não podia "renunciar pela segunda vez a escolha de ser porta-bandeira".

"Ser porta-bandeira é um adicional. Tinha que ter acontecido em Londres e não podia renunciar pela segunda vez. Não foi decisivo para decidir estar aqui. Mas, sim, influenciou bastante", reconheceu Nadal, destacando que o mais duro deste tempo inativo foi ter abandonado Roland Garros.

Nadal falou sobre a decisão de disputar os Jogos do RioEfe

"O mais duro foi sair de Roland Garros. Depois de perder o torneio para o qual você trabalhou tanto tempo, um torneio que é uma referência, com a sensação de estar bem preparado foi o mais difícil. Outra coisa foi a incerteza de saber se podia chegar aqui ou não", disse Nadal, que pretende esquecer nos Jogos do Rio o tempo longe das quadras.

"Se não fossem os Jogos não estaria aqui. Os prazos foram muito curtos e a recuperação foi mais acelerada. Sigo jogando com desconforto a cada dia", afirmou o tenista espanhol.

Nadal levará a bandeira da Espanha na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos. "Carregar a bandeira na sexta-feira significa uma recompensa por muitos anos de trabalho, de luta e de paixão posta a cada dia e anos de competição. Para mim será uma grande satisfação", disse o tenista.

Rafael Nadal se sente lisonjeado por ser um dos atletas mais populares na Vila Olímpica. "Estar na Vila é uma experiência única e compartilhar momentos com outros atletas é algo único. Se relacionar com outros desportistas e além disso ver a realidade do que é o esporte em si, o mérito que tem todos os atletas", disse.

"Tenho fotos com muitos desde os Jogos de Pequim e com outros em outros eventos. É um lugar especial para conhecer atletas de esportes menos populares. É um evento onde todos os atletas estão em igualdade de condições e isso é muito especial", concluiu Nadal.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia