Micale sai em defesa de Neymar: 'Procuramos sempre achar culpados'

Técnico não adiantou se vai mudar o time contra a Dinamarca

Por pedro.logato

Bahia - O técnico da seleção brasileria olímpica, Rogério Micale, se motrou preocupado com as críticas que Neymar vem recebendo. Em entrevista coletiva, nas véspera do duelo contra a Dinamarca, o comandante elogiou o craque do Barcelona e afirmou que a presença do camisa 10 nos Jogos foi garantida pela insistência do brasileiro.

"Se não analisarmos friamente, não tivermos uma transição dos craques, não o respeitarmos, logo eles não vão querer estar conosco. O Neymar quis estar na Olimpíada, e volto a dizer: ele assumiu uma situação e é muito cobrado por isso com 24 anos. São fatos para refletir", afirmou.

Micale afirmou que Neymar tem recebido críticas prejudiciais Lucas Figueiredo / MoWA Press

Segundo o técnico, as críticas em cima do atleta acabaram servindo para mascarar os verdadeiros problemas da seleção e do futebol brasileiro. "Enquanto ficarmos preocupados com tarjas de capitão, comportamentos pessoais, situações internas de relacionamento, e não abrirmos discussão para realmente entender o que está acontecendo no futebol brasileiro, no setor tático, comportamental, vamos continuar na mesmice. Queremos achar culpados, isso é um grande mal", disse.

LEIA MAIS: Notícias, programação e quadro de medalhas da Olimpíada do Rio

Segundo Micale, os problemas do futebol brasileiro não vão ser resolvidos em curto espaço de tempo. "A Alemanha levou 12 anos para chegar onde chegou, mas nós queremos chegar lá com seis meses, não queremos passar por 11 anos e meio de preparação. Estamos lidando com jovens, se continuarmos matando, vamos colher a mesma coisa que estamos colhendo há anos", opinou.

Nesta quinta-feira, o Brasil enfrenta a Dinamarca precisando da vitória para seguir vivo, sonhando com a medalha de ouro na Olimpíada. O técnico não quis revelar se pretende fazer alguma modificação no time titular.

"Temos um modelo de jogo com variações, é normal fazer, já aconteceu em dois jogos. Tentamos variações, mas não podemos mudar conceitos sem treinamentos. Ele existe, treinamos em nossa preparação e não é porque não conseguimos a vitória que vamos mudar tudo, em termos de conceito. Isso traria mais prejuízos do que benefícios à equipe. O conceito traz o resultado. Se abrir mão dele, abre mão de uma forma de jogar", concluiu.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia