Torcida brasileira vai ter que 'gritar com moderação' após reclamações

Segundo diretor de comunicação de Comitê, Jogos Olímpicos não são partidas de futebol e é preciso respeitar adversário

Por clarissa.sardenberg

Rio - O diretor de comunicação do Comitê Olímpico, Mario Andrada, afirmou que após reclamações de ateltas, a torcida brasileira vai ter que "gritar com moderação" durante os Jogos da Rio 2016. O barulho excessivo virou assunto internacional e polêmica entre atletas rivais vaiados pelos brasileiros nas arquibancadas. "Pediremos aos torcedores mais silêncio e elegância durante as competições. A torcida é apaixonante, mas não combina com a disciplina olímpica", afirmou Andrada. 

"A paixão da torcida brasileira agrada a todos, mas é preciso respeitar o adversário. Os Jogos Olímpicos não são partidas de futebol", criticou o diretor, fazendo coro com jornais internacionais que mencionaram a falta de etiqueta dos brasileiros nas arenas. 

Saiba: Torcida brasileira é criticada na mídia internacional por falta de etiqueta

Comportamento da torcida do Brasil gerou críticas na imprensa internacional, que chamou Jogos de 'Olimpíada das vaias'Alexandre Loureiro/Exemplus/COB

O jornal norte-americano "New York Times" comentou nesta segunda-feira que "a exuberância dos fãs locais" está entrando em confronto com os pedidos constantes de silêncio feitos pelos atletas e organizadores dos Jogos. A mídia internacional já caracterizou a competição como a "Olimpíada das vaias".

"O público brasileiro vai à loucura por qualquer coisa", diz o jornal no título da matéria. "Em diversas disputas, desde tênis de mesa até na natação e no vôlei de praia são ouvidos: 'Silêncio! Shh'!"

Um texto da agência de notícias "Reuters" chega a dizer que os "estridentes fãs brasileiros são surdos para o espírito olímpico". "No boxe, judô, esgrima ou até no tênis, os torcedores brasileiros estão tratando muitos esportes olímpicos como se estivessem em um Flamengo x Fluminense, uma rivalidade do Rio onde paixões, além de cusparadas e eventualmente socos, costumam voar alto", publicou a agência.

Os gritos de "ôôô Zika" para Hope Solo, goleira da seleção feminina de futebol dos Estados Unidos ou outras provocações também ganharam manchetes.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia