Brasil luta até o fim, mas fica em quinto na final do hipismo por equipe

Conjunto brasileiro por pouco não conquistou o bronze

Por fabio.klotz

Rio - Em um esporte em que a integração e o total controle sobre o cavalo, além do tempo, são determinantes para vencer grandes obstáculos, os franceses mostraram ao mundo como se faz isso como ninguém. Na final por equipe, nesta quarta-feira de manhã no Centro Olímpico de Hipismo, eles brilharam nas três passagens com percursos quase perfeitos e apenas três faltas e conquistaram a medalha de ouro. Já a prata ficou com o conjunto dos Estados Unidos com cinco pontos perdidos. E o bronze foi para a Alemanha, que ganhou o desempate do Canadá. O Brasil chegou em quinto, mas brigou pelo bronze até o fim. Os brasileiros se classificaram para final individual nesta sexta-feira.

Pedro Veniss lamentou o vacilo na final do hipismo por equipeWashington Alves / Exemplus / COB / Divulgação

Último cavaleiro, Pedro Veniss, com Quabri de L'isle, derrubou um obstáculo e passou além do tempo, sendo penalizado em quatro pontos, deixando o conjunto longe do pódio.

"Estou triste, a gente trabalhou muito, tínhamos realmente chance. A decepção foi grande", lamentou o cavaleiro Pedro Veniss.

O brasileiro Eduardo Menezes, o primeiro a fazer o percurso, foi muito aplaudido pela torcida. Montando "Quintol", ele fez um bom trajeto, mas cometeu uma falta, sendo penalizado com quatro pontos. Depois veio Alvaro Doda de Miranda com "Cornetto K". Ele completou o percurso dentro do tempo, mas cometeu uma falta, deixando o Brasil com oito pontos de penalidade. E por fim Veniss. O cavaleiro Sthefan Bracha de Freitas não competiu, pois machucou levemente o seu cavalo e foi desclassificado.

Na disputa individual, dois cavalos protagonizaram momentos emocionantes no Centro Hípico de Deodoro. Montando "Bardolino", a japonesa Reiko Takeda não conseguiu saltar um obstáculo de notas musicais. Percebendo o estranhamento do animal e pensando em preservá-lo, ela abandonou a disputa e foi muito aplaudida. Depois, o Sheik Ali Al Thani, do Catar, vibrou muito com a performance do seu cavalo "First Devision". E no final do percurso comemorou tanto que foi muito aplaudido pelo público.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia