Mais Lidas

Flamengo ficou devendo

Empate com mantém o tabu de não vencer na Arena da Baixada

Por marlos.mendes

O primeiro tempo na Arena da Baixada foi de baixa qualidade. Desorganizado e dando generosos espaços que o Atlético-PR não soube aproveitar, o Flamengo foi para o intervalo vencendo por 1 a 0, gol de Mancuello, de cabeça, raspando cruzamento de Pará. Mesmo não levando força, a bola passou pelo goleiro e por um furo na rede, iludindo a galera. Com o meio-campo do Flamengo marcando mal, o Furacão mandou duas bolas no travessão e deu sustos em Muralha. No segundo tempo, logo aos 10 minutos, Thiago Heleno de cabeça escorou escanteio, empatou e botou fogo no jogo. Aos 23, Zé Ricardo lançou Vinicius Junior no lugar de Matheus Sávio e Lucas Paquetá no de Cuéllar. O time melhorou, mas não conseguiu além de um pontinho, mantendo o tabu de não vencer na Arena da Baixada. O 1 a 1 foi ruim para ambos. Domingo, o Flamengo enfrentará o Botafogo, às 11h, provavelmente inaugurando o Urubuzão, na Ilha do Governador.

Time da virada

O Vasco venceu o Fluminense por 3 a 2 ,de virada, e com direito a gol da vitória marcado nos acréscimos. A torcida que lotou São Januário viu uma equipe diferente, mais equilibrada em suas linhas, não se assustando ao levar a virada inicial, encontrando forças e equilíbrio para buscar a vitória quando Manga e Nenê saíram do banco de reservas para fazer história. Mesmo enfrentando dificuldades, o Vasco mostra progressos sob o comando do técnico Milton Mendes.


Pedaladas

Petkovic mal chegou ao Vitória e já está pressionado. Perdeu para o Coritiba por 1 a 0, na segunda derrota em casa, e conheceu a fúria da galera que já quer sua cabeça.

No clássico paulista, a bola foi mais do Palmeiras, e o São Paulo fez os gols: 2 a 0. Rogerio Ceni deixou os números de lado, ganhou o jogo e o duelo com Cuca.

Sem ultrapassagens, sem emoções, monótona, a Fórmula 1 em Mônaco não é corrida, é uma carreata.

Bola dentro

Nenê mostrou equilíbrio ao aceitar pacificamente o banco e aguardar sua vez no time do Vasco. Sem rancor, sem bico, quietinho. Um belo exemplo.

Bola fora

O Inter começou mal a Série B e acendeu a torcida: uma vitória, um empate e uma derrota. O técnico Antônio Carlos Zago pagou a conta sozinho.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia