Por pedro.logato

Rio - O brasileiro Rodrigo Parreira recebeu um belo presente de aniversário. Um dia depois de completar 22 anos, ele conquistou a medalha de bronze nos 100m rasos, na categoria T36 (paralisia cerebral), com a marca de 12s54. O ouro ficou com Mohamed Puzi, da Malásia, que bateu o recorde paralímpico com 12s07, seguido do chinês Yifei Yang, que alcançou 12s20. Emocionado com a surpreendente medalha de bronze, o brasileiro comemorou a boa colocação logo após ter ficado mais velho.

"A minha maior emoção foi pelo meu aniversário. Estou há um mês fora de casa, trabalhando duro com a seleção brasileira. Ganhar uma medalha e comemorar o meu aniversário estando junto com a equipe do Brasil é emocionante para mim", afirmou o atleta goiano.

A prova precisou ser reiniciada após o ucraniano Roman Pavlyk ser desclassificado por queimar a largada. Com um a menos na disputa, Rodrigo largou mal, mas conseguiu se recuperar e alcançou o bronze. O objetivo do brasileiro, no entanto, é mudar a cor da medalha na próxima Paralimpíada do Japão, em 2020.

"Foi emocionante demais conquistar uma medalha no meu país, com a minha torcida. Agora eu quero treinar mais para conseguir a grande e esperada medalha de ouro no Japão, porque ainda não há nenhuma medalha de ouro no Brasil na minha categoria", disse Rodrigo.

Reportagem de Yuri Eiras

Você pode gostar