Vasco anuncia Júnior Lopes, filho de Antônio Lopes, como auxiliar técnico de Ramon

Clube passa por uma reformulação interna neste período sem partidas

Por Lance

Antônio Lopes ao lado de Ramon, novo técnico do Vasco
Antônio Lopes ao lado de Ramon, novo técnico do Vasco -
Rio - O Vasco anunciou, nesta quarta-feira, Júnior Lopes, que trabalhou no clube nas décadas de 90 e 2000, como novo auxiliar técnico da equipe. O profissional é filho de Antônio Lopes, anunciado na última segunda como novo coordenador técnico do Cruz-Maltino. Ele será o braço direito de Ramon Menezes, efetivado como treinador do time.

Aos 46 anos, ele tem passagens por Cruzeiro, Flamengo, Palmeiras, Goiás e Athletico Paranaense, trabalhando com veteranos do futebol brasileiro como Vanderlei Luxemburgo e Mano Menezes. Ele também passou cinco anos na Seleção Brasileira.

- Eu estou muito feliz com esse retorno. Trabalhei por quatro anos na base do Vasco e outro ano no profissional, sendo campeão carioca em 2003. Dei seguimento na minha carreira e agora estou voltando 17 anos depois. O que me deixou extremamente satisfeito foi que esse convite foi feito pelo Alexandre (Campello, presidente do Vasco) e o José Luís (Moreira, vice de futebol) com aprovação do Ramon. Recebi o convite no mesmo dia, mas tive que resolver algumas questões antes de oficializar. Hoje tudo foi resolvido e posso dizer oficialmente que estou de volta. Muito bacana da forma que tudo foi feito - disse Júnior Lopes ao site oficial do Vasco.
Júnior e Ramon já se conhecem. Os dois foram companheiros de turma no curso Licença Pro promovido pela Confederação Brasileira de Futebol.

- Nos últimos dois anos, em 2018 e 2019, eu e Ramon fomos companheiros de turma nos cursos de Licença Pró da CBF e sentávamos lado a lado. Sempre trocamos bastante ideia sobre futebol, sobre o Vasco. Fizemos quase todos os trabalhos de grupo juntos, pois eles eram sempre realizados por mesa. Fiquei muito feliz com esse convite dele e estou muito motivado para começar logo a trabalhar - disse.

- É uma satisfação muito grande. O Ramon é um cara que me dou bem desde a época que era jogador. Ele foi meu atleta também no Vasco, em 2002, e no Athletico Paranaense, em 2007. Nós sempre tivemos uma relação muito próxima, pois desde a época de jogador ele buscava muito essa parte tática, sempre foi um cara muito inteligente. Eu acho muito importante um auxiliar estar junto com os jogadores, ouvir o que eles pensam, ter um elo, até para que eles se sintam parte de todo o processo - completou.

Comentários