Jogador consegue liminar na Justiça do Trabalho e rescinde com o Vasco

Goleiro estava no CSA

Por Lance

A pedido de Abel Braga, Jordi teve ofertas recusadas e volta valorizado ao clube
A pedido de Abel Braga, Jordi teve ofertas recusadas e volta valorizado ao clube -
Rio - O goleiro Jordi não é mais jogador do Vasco da Gama. O atleta obteve liminar na Segunda Instância da Justiça do Trabalho do Rio, que determina a rescisão contratual com o clube. A decisão foi proferida pela desembargadora Marise Costa Rodrigues. O atleta usou como fundamento para o pedido uma dívida que ultrapassa um milhão de reais, decorrente de obrigações trabalhistas não cumpridas. A informação é do portal "Esporte News Mundo", confirmada pelo LANCE!

Jordi alegou não recolhimento do FGTS desde 2017, não quitação de parcela do 13º salário e férias do mesmo ano, além do não pagamento de premiação de 2019 e dos salários e férias de 2020;

A magistrada entendeu que o jogador poderia sofrer prejuízos na carreira pela perda de eventuais contratos com outros clubes. Mesmo treinando normalmente com o elenco vascaíno, ele já teria propostas de Portugal e outro clube da Série A.

O Cruz-Maltino pode recorrer da decisão no colegiado do TRT ou ao TST, em Brasília. A ação teve início no dia 24 de julho, masa rescisão indireta não foi aceita na 38ª Vara do Trabalho. Com isso, os advogados do goleiro recorreram à instância superior.

Aos 26 anos, Jordi foi revelado nas categorias de base de São Januário e fez a estreia no profissional em 2014. No ano passado, teve uma temporada de destaque, quando foi emprestado ao CSA. A pedido do então técnico Abel Braga, retornou ao Vasco no início da atual temporada. O contrato dele com o clube tinha término previsto para 30 de junho de 2021.

Comentários