Leven Siano - Reprodução / Canal Leven Siano 2020
Leven SianoReprodução / Canal Leven Siano 2020
Por LANCE!
Rio - Primeiro colocado na tumultuada eleição do Vasco, realizada no último sábado, Leven Siano foi veemente quanto aos desdobramentos em torno da política do clube. Em entrevista coletiva concedida nesta segunda-feira, na Barra da Tijuca (Zona Oeste do Rio de Janeiro), o candidato da chapa "Somamos" falou sobre a possibilidade de uma nova eleição acontecer no dia 14 de novembro.
"Para mim a eleição está encerrada, porque eu me recuso a participar de qualquer outra eleição. Se o resultado for de outra eleição o vascaíno terá um outro presidente que não sou eu. Eu aposento nesse momento da política do Vasco. Me recuso a me desrespeitar e a desrespeitar os associados do Vasco" e e emendou:
Publicidade
"Eu não vou me submeter a outra eleição! Eles (os demais candidatos) têm de mostrar o quanto eles amam o Vasco!", complementou.
Leven também ironizou a chapa Sempre Vasco, que tem cédulas amarelas e falou sobre a decisão do STJ na noite do último sábado.
Publicidade
"O Julio já sabia da decisão (judicial) muito antes. Aí falou: "vamos melar". Tem alguém aí da Globo? Olha, eles têm que pedir qual vai ser a música tocada no "Fantástico". Terceira vez que perdem: sugiro "Sítio do Pica-Pau Amarelo"", disse.
Leven Siano criticou o imbróglio em torno da eleição e disse que "fechará um capítulo" sobre a decisão de Faues Mussa.
Publicidade
"A liminar era para proteger com problema do Covid-19. A eleição já foi feita. A ação do Mussa já perdeu o objeto. A eleição já foi consumada. Vamos fechar um capítulo. Se porventura não for, a força política nesse tráfico de influência, se querem o poder pelo poder, estou fora disso. Não está prevista eleição online no estatuto do Vasco" e ressaltou:

"Em vez de serem felizes de uma eleição de forma direta, só interessa se ganha? É a primeira eleição democrática para presidente. É a primeira eleição direta! Na primeira eleição direta, é muito triste termos este tipo de imbróglio".