Luxemburgo foi o grande personagem do Vasco na campanha que evitou o rebaixamento em 2019 - Daniel Castelo Branco
Luxemburgo foi o grande personagem do Vasco na campanha que evitou o rebaixamento em 2019Daniel Castelo Branco
Por O Dia
Rio - Após a recusa de Zé Ricardo para assumir o comando do Vasco, 'presente e futuro' trabalham em consenso pelo acerto com Vanderlei Luxemburgo. No último dia de mandato, o presidente Alexandre Campello, em concordância com o próximo mandatário, Jorge Salgado, avalizou a abertura da negociação com Luxa. Embora ainda não tenha sido oficializado como o novo gerente de futebol do clube, Alexandre Pássaro, ex-São Paulo, é quem conduz as tratativas.  
Não apenas pela experiência e currículo vitorioso do treinador, de 68 anos, a rápida adaptação que ele teve à frente do Cruzmaltino no Campeonato Brasileiro de 2019 coloca Luxa como o favorito para o cargo. Após assumir a equipe na zona de rebaixamento no ano passado, o comandante terminou se despediu com o Vasco em 12º lugar e classificado para a Sul-Americana.
Publicidade
A troca de São Januário pelo Palestra Itália, no entanto, não foi bem digerida pelo presidente Alexandre Campello, amigo pessoal de Luxa e que comprou a briga com os críticos por conta da identificação do treinador com o arquirrival Flamengo, clube do qual é sócio e torcedor declarado. Novamente ameaçado de rebaixamento, o Vasco, 17º colocado, com 28 pontos, deixa as rusgas de lado. A diretoria tem pressa e pretende iniciar 2021 com o substituto do português Ricardo Sá Pinto anunciado.
Dívida 'pesa' a favor de Luxa
Publicidade
Apesar da mágoa da diretoria após Luxa ter trocado o Vasco pelo Palmeiras no início do ano, o treinador, mesmo com três meses de salário atrasados (setembro, outubro, novembro e dezembro, além do 13º e do FGTS), não foi à Justiça do Trabalho para cobrar os atrasados. De acordo com o 'GE', o treinador fechou um acordo e entrou num pool de credores para receber, em parcelas, a dívida de pouco mais de R$ 1 milhão.

Com o aval da torcida, Vanderlei Luxemburgo, livre no mercado desde a demissão do Palmeiras, em outubro, não esconde a motivação pelo desafio. Recuperado após o diagnóstico positivo para o novo coronavírus, o treinador está apto para voltar a trabalhar, provavelmente na  companhia do preparador físico Antonio Mello e do auxiliar Mauricio Copertino.