Por pedro.logato

Rio - Parece que os cerca de R$ 14 milhões que o Vasco faturou com a venda de Dedé ajudaram a quitar os salários atrasados do grupo, mas não foram suficientes para que o clube pagasse dívida com o treinador Gaúcho, demitido há quase dois meses e que trabalhou com carteira assinada por alguns anos no clube. Ainda sem ter recebido os mais de três meses de vencimentos atrasados, ele ainda espera o pagamento de sua rescisão. Uma reunião esta semana pode definir a situação de Gaúcho.
Publicidade
Na sua última passagem pelo Gigante da Colina (de 2009 até março deste ano), Gaúcho foi técnico dos juniores, auxiliar técnico e comandou o time de forma interina até assumir o cargo principal. Desde que foi demitido após a derrota para o Nova Iguaçu, ele ainda não foi procurado pela diretoria para resolver o caso.
“Está prevista uma reunião com o Cristiano Koehler (diretor geral) ou alguém da diretoria para falarmos sobre a rescisão. Quero ter uma posição definitiva para seguir a minha carreira. Preciso trabalhar e espero que tudo isso seja resolvido da melhor maneira”, desabafou Gaúcho, em entrevista à Rádio Brasil.
Publicidade