Pausa para o último ato do Vasco

Delegação busca ares em Atibaia antes do dever de somar nove dos 12 pontos que restam

Por rafael.arantes

Rio - Antes mesmo da partida contra o Grêmio, a diretoria do Vasco já havia decidido que a preparação para o jogo diante do Corinthians, domingo, no Pacaembu, seria feita em Atibaia, no interior de São Paulo. Entretanto, com a derrota de 1 a 0 em Porto Alegre, o período de concentração fora do Rio ganhou ares dramáticos, já que não há mais margem para cometer erros no Campeonato Brasileiro. Uma parada técnica tendo em vista uma disputa acirrada até o fim da competição.

Adilson tem missão complicada no VascoCarlos Moraes / Agência O Dia

Com alto risco de ser rebaixado para a Série B, o Vasco precisará de uma sequência inédita para o clube nas últimas quatro rodadas do Campeonato Brasileiro para escapar da degola. Nos cálculos da comissão técnica, o time terá de conquistar pelo menos nove dos 12 pontos disputados. Por isso, com apenas dois jogos em casa, o Vasco precisará vencer ao menos um jogo como visitante.

É o que o técnico Adilson Batista espera já contra o Corinthians. “Com a derrota para o Grêmio, ficou claro que decidiremos a nossa situação apenas contra o Atlético Paranaense, na última rodada. Tudo está caminhando para isso. Entretanto, dependemos de uma vitória contra o Corinthians para começarmos a nossa recuperação. É difícil, mas buscaremos este objetivo”, afirmou o comandante.

No primeiro dia de treinamento no luxuoso resort onde o time está hospedado em Atibaia, Adilson reuniu o grupo no centro do gramado, conversou e gesticulou muito. Depois, comandou atividade tática em campo reduzido. A delegação, que viajou de Porto Alegre diretamente para São Paulo, não contou com Pedro Ken, suspenso, Sandro Silva e Montoya, que voltaram para o Rio. Em compensação, Tenorio, Yotún e Luan se juntaram ao grupo.

Com a calculadora nas mãos, Adilson Batista não perde as esperanças. “É uma situação difícil, mas que não é impossível. Temos pouco tempo para mudar e precisamos diminuir nossa margem de erro. É ter mais responsabilidade para representarmos um clube do tamanho do Vasco”, disse.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia