Por fabio.klotz

Sao Paulo - A partida deste domingo, às 17h, contra o Corinthians, no Pacaembu, promete ser um grande teste para o coração e a paciência dos vascaínos. Precisando da vitória para manter-se vivo no Campeonato Brasileiro, o técnico Adilson Batista esboçou ao longo da semana entrar em campo com três zagueiros e três volantes. Com um time totalmente sem inspiração no meio, já que Juninho está machucado, Pedro Ken, suspenso, e Bernardo, no banco de reservas, a aposta é nas jogadas pelas laterais e na bola parada.

Fagner deve ter mais liberdade para atacarDivulgação

Na era Tite, vencer a defesa do Corinthians tornou-se uma das missões mais difíceis do futebol brasileiro. Tanto que, mesmo no meio da tabela e tendo um dos piores ataques da competição, o Timão sofreu apenas 20 gols em 34 jogos e possui a defesa menos vazada. Para se ter uma ideia, o campeão Cruzeiro levou 30 até agora.

Como vencer uma barreira dessas atuando no esquema 3-5-2 sem um jogador de ligação entre a defesa e o ataque? O técnico Adilson Batista acredita em duas jogadas: os avanços pelas alas com Fagner e Yotún e as bolas paradas. No treino deste sábado, ele trabalhou exaustivamente o fundamento.

“A gente tem trabalhado para fazer o melhor, mas espero termos sucesso nessas jogadas, pois precisamos ganhar essa partida de qualquer jeito”, disse Fagner, comentando ainda o fato de ter mais liberdade para atacar.

“Se essa formação com três zagueiros for confirmada, teremos mais liberdade. Mesmo assim precisamos estar atentos à marcação. Não podemos sobrecarregar os jogadores do meio de campo nem o sistema defensivo”, afirmou o lateral-direito.

Você pode gostar