Papai Joel avisa: volta para o Vasco para ser campeão

Técnico se antecipa a Dinamite, confirma acerto e pede apoio da torcida para levar o Gigante ao título da Série B

Por fabio.klotz

Rio - O desejo de marcar território e dizer que está pronto para o desafio foi maior que o pedido de segredo feito pelo presidente Roberto Dinamite. O combinado era que se esperasse a apresentação oficial, segunda-feira, mas Joel Santana, que acertou nesta sexta-feira seu retorno ao Vasco, já falou como treinador da equipe antes mesmo do anúncio oficial. Com 40 títulos na carreira, o novo comandante, sem falsa modéstia, chega para sua quinta passagem pelo clube em busca de mais um troféu: o da Série B do Campeonato Brasileiro.

Joel Santana já fala como técnico do Vasco e mostra confiança para a sequência da temporadaAndré Luiz Mello

“Aceitei todas as condições, pois meu interesse é tirar o Vasco da Série B. E, como gosto de ganhar até cara ou coroa, chego para subir para a Primeira Divisão conquistando o título da competição. Chega dessa história de perder pontos em São Januário. Lá é o nosso Caldeirão. O Vasco tem história e é gigante”, afirmou Joel, em conversa descontraída com o O DIA no início da noite.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Vasco

Horas antes, o treinador, de 65 anos, se reuniu com Dinamite e acertou os últimos detalhes da negociação. Embora quisesse um contrato até o fim do Campeonato Carioca de 2015, ele aceitou ficar até dezembro, com salário de R$ 150 mil mensais. A programação também já está definida e Joel já sabe quando fará sua estreia.

“Minha cabeça está ótima para assumir este desafio. O Roberto (Dinamite, presidente do Vasco) me pediu para entrar em detalhes apenas na segunda-feira, mas a coisa está certa. Chego para treinar o time na segunda e comandá-lo na terça-feira, contra a Luverdense”, revelou.

Para a felicidade de Joel, o jogo será em São Januário, onde ele espera iniciar uma parceria importante. Com discurso humilde, o treinador, que viveu dias de glórias na Colina, em 2000, ao conquistar a Copa João Havelange e a Copa Mercosul, admitiu que sozinho não conseguirá grandes feitos.

“Eu preciso da torcida comigo, estou pedindo essa ajuda. Por isso, o papai dessa vez não vai adotar um jogador, vai adotar todos os vascaínos. Vamos sair dessa juntos. Vou trabalhar todos os dias para isso”, prometeu Joel. Ele admitiu que Felipe, ídolo do clube, pode pintar em sua comissão técnica: “É uma situação que pode acontecer, mas que vou falar melhor na segunda-feira.”

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia