Doriva mantém mistério no Vasco

Técnico diz que não é hora de inventar, mas tenta despistar sobre a escalação do time para a final do Campeonato Carioca

Por fabio.klotz

Rio - Decifra-me ou te devoro. Como uma esfinge, o técnico Doriva tenta esconder o jogo e não dar nenhuma pista ao adversário na véspera do primeiro duelo da final do Campeonato Carioca contra o Botafogo. Sorridente e cortês, como de costume, o comandante vascaíno respondeu a todas as perguntas dos jornalistas durante a entrevista coletiva, em São Januário, mas manteve o tom enigmático ao ser o mais evasivo possível. Mesmo falando pouco, acabou dizendo muito nas entrelinhas.

Doriva não revela time%2C mas deve manter a espinha dorsal do VascoAndré Luiz Mello

“Não é momento de fazer nenhuma loucura. A equipe tem tido uma consistência importante e vamos manter essa linha, trabalhando bastante. Esse período foi muito importante. Com treinos fechados, tivemos um tempo para nós, pudemos fazer jogadas, falar mais alto. Foi bom”, comemorou Doriva.

Espírito de decisão

Apesar do mistério, ele não deve mexer na espinha dorsal da equipe, que eliminou o Flamengo na semifinal. Nos dois confrontos, Guiñazu, Serginho, Julio dos Santos e Marcinho formaram o meio-campo e Dagoberto, ainda recuperando a melhor forma física, entrou no segundo tempo.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Vasco

“Dagoberto está pronto. Lógico que ele ainda vai sofrer, pois os jogos são intensos. Qualquer atleta sem uma sequência grande de jogos sofre. É o caso dele, mas está próximo do ideal e só com os jogos vai conseguir atingir o seu melhor nível”, disse, sem confirmar a entrada do experiente atacante.

Mesmo com Dagoberto em melhor forma, a tendência é que o técnico não faça "loucura", como ele mesmo ressaltou e mantenha o time que derrotou o Flamengo no último domingo. Nesse caso, Dagoberto ficaria no banco de reservas, como opção.

Se faz mistério sobre a escalação, o técnico é muito claro sobre a postura que deseja ver do Vasco em campo neste domingo.

“O time tem que ter postura, jogos decisivos exigem isso. Os confrontos individuais têm que ser vencidos. Temos que brigar em cada metro do campo”, avisou.

Para deixar o grupo ainda mais fechado, a diretoria antecipou a concentração para esta sexta-feira à noite. “É descanso, alimentação. Vamos ficar todos juntos. É importante neste momento”, ressaltou Doriva.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia