Goldman Sachs adquire parcela de 2,27% no BES

Banco e hedge fund dos EUA foram compradores de ativos vendidos por controlador

Por marta.valim

O banco de investimentos Goldman Sachs e a gestora do fundo de hedge D.E. Shaw dos Estados Unidos foram compradores da participação de 4,9% do Banco Espírito Santo (BES) vendida no dia 14 de junho pela holding Espírito Santo Financial Group (ESFG) para saldar empréstimos com o banco Nomura. Em comunicado ontem à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o órgão regulador do mercado de capitais de Portugal, o BES informou que as duas instituições passaram a deter participações, respectivamente, de 2,27% e 2,7% no capital do banco, após adquirirem ativos no início do mês.

As participações qualificadas do Goldman Sachs e da gestora D.E.Shaw foram comunicadas pelo BES porque ultrapassaram o limite legal de 2% no capital do banco, definido pelos reguladores, para divulgação ao mercado. Segundo o BES, a transposição do limite ocorreu com o investimento em derivativos negociados fora de mercado regulado, como contratos diferenciais (CFD) e swaps de ações, assim como em títulos do banco.

Segundo o comunicado, a transação do Goldman Sachs consistiu em ações correspondentes a 1,6% do capital do BES e instrumentos derivativos representativos de 0,67% do banco. Após estes negócios, a posição no BES situou-se em 2,27%. Também a D.E. Shaw aproveitou a baixa da cotação das ações do banco para apostar no banco através da compra de swaps de ações e adquiriu instrumentos financeiros equivalentes a 2,71% do BES.

O BES também divulgou ontem o nome do Deutsche Bank como assessor financeiro contratado para avaliar as possibilidades de otimização da sua estrutura. O BES informou que a sua Comissão Executiva contratou o Deutsche Bank em um comunicado enviado à CMVM. O banco alemão ficou fora do grupo de instituições financeiras contratadas para o último aumento de capital do BES, de cerca de um bilhão de euros, concretizado no início de junho.

O banco portugues também anunciou ontem o adiamento da apresentação dos resultados do segundo trimestre para o próximo dia 30, véspera da assembleia-geral. O balanço da filial do BES no Brasil também será adiado. A Espírito Santo International (ESI), dona da Rioforte, infomou que autoridades do Luxemburgo aceitaram seu pedido de proteção contra credores. Com agências

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia