Ibovespa acompanha indefinição nos EUA e opera volátil

O índice caía quase 1% perto das 13h. Em meio à cautela, as bolsas norte-americanas operam à espera de importantes dados econômicos

Por parroyo

Após abrir em queda, o Ibovespa ganhou algum fôlego, mas voltou ao campo negativo e, por volta das 13h, recuava 0,93%, aos 57.161 pontos. O índice segue a indefinição das bolsas norte-americanas, que oscilam à espera de importantes dados econômicos a serem divulgados ao longo da semana, como números de emprego e decisão de política monetária.

Na agenda doméstica desta terça-feira, o Banco Central apontou que as operações de crédito seguem com tendência de crescimento moderado e que o nível de inadimplência está estável. Em relação à confiança da indústria, a Fundação Getúlio Vargas apontou que o índice caiu pela sétima vez consecutiva em julho e atingiu o pior nível desde abril de 2009.

À frente dos ganhos, Oi PN subia 2,74%. Na segunda-feira, a companhia divulgou os termos definitivos do acordo de fusão com a Portugal Telecom (PT). De acordo com o comunicado, as ações da Oi que serão entregues à PT não precisarão ser mantidas na tesouraria da nova empresa, a CorpCo. Ou seja, a companhia pode negociar os ativos. Na ponta negativa, Cyrela ON perde 4,19%.

Nos Estados Unidos, as bolsas operam mais um dia em direções opostas à espera da reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), que começou hoje e termina nesta quarta-feira. Além disso, há uma dose a mais de cautela por conta de dados fracos do setor imobiliário do país divulgados ontem. Por volta das 13h, o Dow Jones subia 0,04%, o S&P recuava 0,07% e o Nasdaq tinha alta de 0,18%.

No mercado de câmbio, o dólar avançava 0,34% em relação ao real, cotado a R$ 2,231 na venda.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia