Ibovespa opera volátil à espera do Fed

Autoridade monetária norte-americana deve diminuir o estímulo em US$ 10 bilhões e dar pistas sobre a data que irá elevar os juros

Por parroyo

O Ibovespa abriu a sessão no azul, mas perdeu força e, por volta das 13h, caía 0,25%, aos 56.975 pontos. A atenção dos investidores está voltada para a agenda dos Estados Unidos. O PIB do país mostrou forte recuperação no segundo trimestre ao avançar 4%. Às 15h, será conhecida ainda a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), que deve cortar mais US$ 10 bilhões do programa de compra de títulos, para US$ 25 bilhões mensais, e dar pistas sobre a data em que irá elevar os juros.

À frente dos ganhos, Santander subia 2,09% enquanto, na outra ponta, BB Seguridade recuava 2,79%. Entre as blue chips, Petrobras PN avançava 0,76% e Vale PN perdia 1,16%.

Em meio à agenda de balanços, a Gerdau divulgou lucro líquido de R$ 356,5 milhões no segundo trimestre, o que representa queda de 8,7% na comparação anual. A siderúrgica comunicou ainda que pretende cortar R$ 500 milhões de investimentos neste ano. Gerdau PN recuava 1,31%.

Já a Klabin, favorecida pela valorização do real em relação ao dólar, reverteu prejuízo ao apresentar lucro líquido de R$ 244 milhões nos três primeiros meses do ano. Mesmo diante do resultado, Klabin PN caía 1,33%.

Nos Estados Unidos, as bolsas operam em direções opostas. Por volta das 13h, o Dow Jones caía 0,46%, o S&P recuava 0,07% e o Nasdaq tinha alta de 0,32%. Enquanto o desempenho da economia surpreendeu de forma positiva, a geração de emprego no setor privado ficou em 218 mil vagas em julho, abaixo da projeção dos analistas. Esse indicador é considerado uma prévia do relatório geral de emprego, o Payroll, que será divulgado na sexta-feira.

No mercado de câmbio, o dólar subia 0,88%, cotado a R$ 2,251 na venda.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia