Ibovespa atinge o maior patamar do mês após pesquisa eleitoral

Datafolha mostrou empate técnico entre Marina Silva e Dilma Rousseff no 2º turno. Mercado espera que ex-ministra reitere os compromissos firmados por Campos

Por parroyo

O novo cenário da corrida presidencial impulsionou o Ibovespa, que terminou em alta de 1,05%, aos 57.560 pontos - maior patamar de fechamento desde 28 de julho - ajudado também pelo bom desempenho das bolsas externas, que subiram em meio à diminuição dos conflitos geopolíticos. O giro financeiro foi de R$ 10,05 bilhões, dos quais R$ 3,5 bilhões se referem ao exercício de opções sobre ações.

A brusca mudança no quadro eleitoral apresentada pelo Datafolha, na qual Marina Silva, futura cabeça de chapa do PSB, aparece tecnicamente empatada tanto com o tucano Aécio Neves no primeiro turno, quanto com a presidenta Dilma Rousseff, em um provável segundo turno, agradou os investidores, que foram às compras.A candidatura de Marina deve ser oficializada pelo PSB na quarta-feira.

No entanto, de acordo com analistas, ainda existem incertezas em relação ao comportamento da ex-ministra. "Vamos conhecer uma nova Marina. Desde a eleição passada, ela ocupou o espaço de uma candidata de nicho: limpa, calcada na sustentabilidade, dispensando apoios corporativo", apontou a Rosemberg Associados, em nota.

“Houve aprovação do mercado quanto à entrada de Marina na eleição. No entanto, é preciso que as próximas pesquisas sua força. Além disso, após a oficialização da candidatura, ela deverá reiterar os compromissos assumidos por Campos, principalmente em relação à política econômica, em especial, a manutenção do tripé econômico (compromisso fiscal, meta de inflação e câmbio flutuante)”, afirmou o estrategista da Corretora Futura Adriano Moreno, para quem caso esses fatos se concretizem, o Ibovespa pode atingir o patamar de 60 mil pontos nos próximos pregões.

À frente dos ganhos, JBS ON subiu 4,89%. Na outra ponta, Marfrig ON perdeu 3,18%. Entre as blue chips, Petrobras PN subiu 1,69% e Vale PN ganhou 0,54%.

Na agenda, o Boletim Focus reduziu a projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), pela 12ª semana seguida, de 0,81%, para 0,79% neste ano. Já para a inflação, a previsão diminuiu pela quinta vez, de 6,26%, para 6,25%.

A BM&FBovespa divulgou na manhã desta segunda-feira, a segunda prévia da carteira teórica do Ibovespa, que vai vigorar a partir do começo de setembro. Os cinco ativos com maior peso no índice são: Itaú PN (9,56%), Petrobras PN (8,08%), Bradesco PN (7,31%), Ambev ON (6,59%) e Vale PNA (5,16%).

Nos Estados Unidos, em meio a uma agenda vazia, as bolsas terminaram em terreno positivo beneficiadas pela diminuição da tensão geopolítica na Ucrânia, em função dos esforços diplomáticos entre Rússia, Alemanha, França e a própria Ucrânia. O Dow Jones subiu 1,06%, o S&P avançou 0,85% e o Nasdaq teve alta de 0,97%.

Dólar

No mercado de câmbio, o dólar caiu 0,24%, cotado a R$ 2,259. “A queda reflete o resultado da última pesquisa Datafolha, que agradou os agentes financeiros em função da possibilidade de realização de um segundo turno na disputa eleitoral. Além disso, o arrefecimento das tensões na Ucrânia contribuiu para o movimento”, disse o operador de câmbio da Corretora Correparti, em nota.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia