Ibovespa fecha estável e cautela prevalece antes da eleição

Após sessão volátil, o índice termina em leve queda de 0,04%. Investidores aguardam novas pesquisas para tomar posições. Dólar sobe, cotado a R$ 2,48

Por parroyo

A virada na disputa eleitoral, com Dilma Rousseff (PT) quatro pontos à frente de Aécio Neves (PSDB), confirmada pelas últimas pesquisas, incomodou o mercado, que diminuiu as apostas pela troca de governo. Tal perspectiva espalhou mau humor entre os investidores e nos dois últimos pregões, o Ibovespa acumulou queda de 6%.

Entretanto, nesta quarta-feira, em meio à falta de novas notícias em relação à eleição, os agentes operaram com cautela e o principal índice da Bovespa teve uma sessão volátil: chegou a subir quase 1,5% na máxima do dia, mas perdeu força na reta final do pregão e fechou perto da estabilidade, com leve recuo de 0,04%, aos 52.411 pontos. O giro financeiro foi de R$ 7,09 bilhões, abaixo da média de outubro de R$ 10,9 bilhões.

“Os dois últimos pregões antes da eleição devem ser marcados pela volatilidade e só deve haver algum movimento brusco caso Aécio mostre melhora nas pesquisas. O baixo volume de negócios aponta que o compasso de espera deve prevalecer até segunda-feira. O mercado já precificou boa parte da vitória de Dilma, por isso não acredito em uma queda catastrófica se ela ganhar”, pontuou o analista da CM Capital Markets, Marco Aurélio Barbosa.

A última pesquisa do Datafolha mostrou Dilma quatro pontos à frente de Aécio – 52% a 48%, em cenário que aponta empate técnico. O Ibope deve divulgar um novo levantamento nesta quinta-feira.

À frente dos ganhos, JBS ON subiu 3,01%. Na outra ponta, ALL ON teve queda de 4,67%. Entre as estatais, Banco do Brasil ON perdeu 2,31%, Eletrobrás ON recuou 2,86% e Petrobras PN teve leve queda de 0,42%.

Na agenda, o IBGE apontou menor crescimento do setor de serviços de serviços em setembro, 4,5%. Em julho, o indicador havia avançado 4,6%. A desaceleração reflete o ritmo menor de alta dos segmentos de informação, comunicação, serviços de transporte e correios.

Nos Estados Unidos, as bolsas abriram com ganhos, mas perderam força ao longo da sessão pressionadas pelo setor de energia, uma vez que o preço do barril petróleo caiu 2,4%, cotado a US$ 80,52 - o menor patamar em mais de dois anos. Entre os indicadores, o índice de preços ao consumidor teve leve alta de 0,1% em setembro. O Dow Jones perdeu 0,92%, o S&P recuou 0,73% e o Nasdaq teve queda de 0,83%.

No mercado de câmbio, o dólar teve a terceira alta seguida ao avançar 0,14%, cotado a R$ 2,48 na venda.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia