Ibovespa opera volátil, mas ganha fôlego com siderúrgicas

Cautela predomina em meio às preocupações com o impacto da crise hídrica e possível racionamento de energia no PIB. Dólar sobe, cotado a R$ 2,70

Por parroyo

O Ibovespa opera volátil nesta segunda-feira em meio à expectativa negativa quanto aos impactos da crise hídrica e do possível racionamento de energia elétrica no desempenho da economia. Por volta das 13h, o principal índice da Bovespa subia 0,50%, aos 47.143 pontos.

As ações das siderúrgicas davam fôlego ao Ibovespa - à frente dos ganhos, Usiminas PNA tinha alta de 4,48% e Guerdau PN avançava 2,85%. Na contramão, PDG ON despencava 11,54%. Outras construtoras também se destacavam entre as baixas, assim como os bancos. Os papéis da Petrobras, por sua vez, esboçavam recuperação – os preferenciais subiam 1,71% e diminuíam a queda no ano para 16,97%.

Na agenda, o boletim Focus reduziu a projeção de crescimento da economia de 0,13% para 0,3% neste ano. Já a previsão para a inflação oficial, medida pelo IPCA, passou de 6,99% para 7,01%. “O mercado já projeta estagnação em 2015, mas se vier o racionamento de água e energia, cenário cada vez mais provável, o PIB registrará contração”, avaliou a Guide Investimentos, em nota.

Nos Estados Unidos, as bolsas abriram em direções opostas. Os investidores aguardam os dados do desempenho da indústria de Dallas. Por volta das 13h, o Dow Jones caía 0,34% e o S&P avançava 0,03%.

No mercado de câmbio, o dólar continuava a escalada observada na última sexta-feira e subia 0,54%, cotado a R$ 2,704.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia