Por

Rio - Antes conhecido pelos brasileiros apenas por ser o paraíso das compras, agora o Paraguai atrai microempresários. Há dois aspectos favoráveis: a menor burocracia para contratação de profissionais reduzindo em 30% a mão de obra e a carga tributária baixa, que representa apenas 12% do PIB. Os dados são da Federação Internacional Imobiliária. Com o avanço dos novos bairros na capital Assunção, o setor imobiliário se expandiu por lá.

O segmento aproveitou a oportunidade para construção de casas, prédios comerciais, projetos governamentais, hotéis e shopping centers, que colaboram para o aquecimento da economia local. Hoje, cerca de 30% do PIB paraguaio tem participação brasileira. Muitos brasileiros que desejavam morar ou empreender no país enxergaram o ano de 2017 como oportunidade ideal. Na embaixada brasileira em Assunção, o número de empresas que pediram informações cresceu quase 64%. Segundo dados do governo local, sete em cada dez indústrias que se instalaram no Paraguai nos últimos cinco anos são de brasileiros. E muito se deve à lei que isenta empresas de impostos.

Você pode gostar
Comentários