Queda do valor do imóvel na Costa Verde

Casas tiveram diminuição de cerca de 12%. Em compensação, os apartamentos aumentaram

Por Marina Cardoso

Secovi-Rio realiza pesquisa sobre o setor imobiliário na Costa Verde
Secovi-Rio realiza pesquisa sobre o setor imobiliário na Costa Verde -

Por ser mais procurada no período de veraneio, as ofertas de imóveis na região da Costa Verde do Rio costumam aparecer em maior quantidade. Moradores são atraídos pelas praias, natureza e também com o preço médio do metro quadrado de venda, que é 42% mais baixo do que o praticado na capital. De acordo com pesquisa do Sindicato da Habitação do Rio de Janeiro (Secovi-Rio), houve uma diminuição de 12% nos últimos cinco meses no valor das casas.

"A grande parte dos imóveis na região Sul Fluminense representa unidades de veraneio. Com a dificuldade de arcar com as despesas, eles resolvem abrir mão e vender as unidades", explica Leonardo Schneider, vice-presidente do Secovi-Rio.

Claudio Hermolin, diretor executivo e presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ), acredita que a insegurança também pode estar ligada a esse resultado. "As pessoas evitam acessar estradas e cidades como Angra, que tem aparecido nos noticiários devido ao aumento da criminalidade", explica. Ainda segundo ele, a segurança pública e a crise econômica afetam não só a Costa Verde, mas também todo o estado.

Apartamentos

Por outro lado, o preço médio do metro quadrado de apartamentos em Angra, por exemplo, subiu gradativamente nos últimos cinco meses deste ano, com uma valorização de 9%. Quanto ao tipo de unidades ofertadas, o Secovi-Rio revela que a maior parte, 48%, é de apartamentos de dois quartos. Em seguida, aparecem as de um quarto, com 21% do total disponível para compra.

Últimas de Imóveis e Casa