Imóveis da Zona Oeste resistem à crise

Apartamentos residenciais e casas populares também puxam as vendas e lançamentos do setor

Por O Dia

Especial Zona Oeste
Especial Zona Oeste -
Bairro que mais cresceu nos últimos 40 anos, a Barra concentra quase 20% dos condomínios do Rio e ainda tem um grande potencial para receber novas construções. Com empreendimentos que são verdadeiros clubes, os imóveis se mantiveram valorizados ao longo dos últimos anos, apesar da estagnação no setor.
Na Zona Oeste como um todo verificou-se variação positiva no preço de venda de apartamentos, de quase 2%, de janeiro a dezembro de 2018. Para locação, alguns bairros da região valorizaram cerca de 3% no mesmo período. Se comparado com outras localidades da Zona Norte, a região se destaca (ver tabela ao lado).
De acordo com o Secovi Rio, a Barra segue com os preços mais altos da Zona Oeste. O valor do metro quadrado para venda, em agosto de 2019, é de R$ 9.362. Recreio e Jacarepaguá vêm em seguida, com os preços em R$ 6.329 e R$ 5.950, respectivamente. Considerando os tamanhos médios dos imóveis, a Barra também sobressai: 133 m², seguida do Recreio (103 m²), Vila Valqueire (88 m²) e Jacarepaguá (77 m²).
Significa dizer que uma unidade de 2 quartos na Barra, com 80 m², custaria em torno de R$ 748 mil. No lado oposto, Bangu e Campo Grande, com os preços médios do metro quadrado em R$ 3.310 e R$ 3.552, respectivamente, são os bairros mais acessíveis da região para os que desejam realizar o sonho da casa própria.
O setor permanece aquecido. Apenas a construtora Cury, que atua há dez anos, lançou neste ano 500 unidades em Campo Grande, com preço médio de R$ 148 mil. Até dezembro serão lançadas mais 500 no mesmo bairro e outras 500 em Jacarepaguá, totalizando 1.500 unidades em 2019. Além destes, nos últimos nove anos foram 1.950 apartamentos (Campo Grande e Jacarepaguá). Os preços vão de R$ 93 mil a R$ 226 mil.
Segundo o gerente da empresa, Adriano Affonso, os projetos privilegiam as áreas de lazer. “São imóveis mais econômicos para compradores com renda mensal de R$ 1,6 mil a R$ 2 mil, mas que querem empreendimentos com quadra de esportes, churrasqueira, piscina etc. Vamos ao encontro dessas demandas”.
Também com forte atuação na Zona Oeste, as construtoras Calçada e Montserrat lançaram o condomínio Life 360 Residences, na Freguesia, em Jacarepaguá, com conceito de clube privativo. O residencial ocupará uma área de mais 4 mil metros quadrados, sendo 30% destinada ao lazer. Composto por duas torres — 144 apartamentos de dois e três quartos com suíte e 24 coberturas de três e quatro quartos, com suíte —, o empreendimento terá apartamentos com preços a partir de R$ 399 mil.
Segundo o gerente comercial da empresa, Thiago Hernandez, as unidades serão entregues com piso de porcelanato na sala, nos quartos e na cozinha. Sala, quartos e suítes terão infraestrutura para colocação de ar-condicionado split. Os banheiros e a cozinha serão 100% revestidos. Todas as coberturas serão entregues com churrasqueira convencional e piscina de alvenaria.
Sala de ferramentas
A área de lazer é completa, no melhor estilo wellness, com complexo aquático, quadra de beach tennis (novidade no mercado), espaço fitness, spa com sauna e hidromassagem, bicicletas compartilhadas, além dos tradicionais salão de eventos, campo gramado, churrasqueira com forno de pizza, brinquedoteca, espaço teen, salão de festas/coworking, espaço piquenique e redário, pet play, car wash e sala de ferramentas (novidades no mercado), entre outros.
Com 40 anos de atuação, a Calçada tem um portfólio de mais de 250 empreendimentos no Rio, sendo 40% deles na Zona Oeste. “A região tem um perfil de clientes que não gostam de migrar para outros bairros e procuram condomínios bem localizados, em áreas com boa infraestrutura, oferta de transporte, comércios e serviços. É o que levamos em consideração ao escolher os locais onde vamos construir”, conclui o empresário.

Comentários