Sidnei Almeida (à esq.) e Giovani Velasco foram escolhidos candidatos pelo PSOL - Divulgação - PSOL Itaguaí
Sidnei Almeida (à esq.) e Giovani Velasco foram escolhidos candidatos pelo PSOLDivulgação - PSOL Itaguaí
Por Jupy Junior
ITAGUAÍ – A convenção do PSOL de Itaguaí aconteceu de modo virtual na noite do feriado de 7 de setembro. Foram escolhidos para as eleições majoritárias Sidnei Almeida (candidato a prefeito) e Giovani Velasco (vice). Uma das principais militantes do partido e conhecida figura política da cidade, Chris Gerardo divulgou nota em que explicou a opção em não concorrer nas eleições: “Eu e Hellen abdicamos para não dar margem à defesa de Carlo Busatto de que fizemos a denúncia por interesse político”.
Gerardo se refere às denúncias protocoladas na Câmara Legislativa assinadas por Hellen Senna, sua companheira. Uma delas originou uma Comissão Processante que acabou por cassar o mandato de Charlinho e do seu vice, Abeilard Gourlart de Souza Filho, em 10 de julho.
Publicidade
METALÚRGICO E ARTISTA
O metalúrgico Sidnei Almeida nasceu em Minas Gerais e chegou a Itaguaí em 2004. Ele mora na Ponte Preta, tem 46 anos, é solteiro e pai de quatro filhos adotivos. Politicamente, sua atuação foi como líder operário sindical. De acordo com informações do partido, Sidnei foi uma das grandes lideranças dos operários no Comperj e conduziu os trabalhadores a importantes mobilizações vitoriosas.
Giovani Velasco tem 43 anos e há 35 mora em Itaguaí. Professor, artista plástico, agente cultural, é filiado ao PSOL desde 2013. Ele está à frente da Associação Fraterna de Amigos da Sabedoria (AFAS) e é proprietário da livraria Prometheus, no centro de Itaguaí.