Embaixo da seta, André Amorim, junto à Mesa Diretora, na sessão legislativa desta quinta-feira (4)
Embaixo da seta, André Amorim, junto à Mesa Diretora, na sessão legislativa desta quinta-feira (4)Reprodução internet
Por Jupy Junior
ITAGUAÍ – Era para ter sido anunciado de outra forma, mas André Amorim, ex-vereador pelo PSC (uma legislatura) e candidato a prefeito nas últimas eleições (6.128 votos - 9,58%) foi mencionado pelo presidente da Câmara Municipal de Itaguaí (CMI) durante a sessão legislativa desta quinta-feira (4) como assessor especial. Amorim disse a O DIA que estava esperando sair sua nomeação em Jornal Oficial, mas o presidente Haroldo Jesus (PV) se antecipou. O motivo da antecipação? Um embate entre Haroldo e Gil Torres (PSL), em que Haroldo citou Amorim como alguém que conhece as leis e que lá estará para garantir que elas sejam obedecidas.
O retorno à Câmara se dá apenas algum tempo depois de ter ficado na sexta colocação na disputa pelo cargo de prefeito, posição que seu pai, Benedito (falecido em 4 de novembro do ano passado, aos 80 anos), ocupou entre 1993 e 1996.
Publicidade
André Luis Reis de Amorim tem 44 anos. É formado em Direito pela PUC Rio e mantém escritório de advocacia na cidade desde os anos 2000.
O nome do advogado já havia aparecido em especulações dos bastidores políticos. Falava-se que ele assumiria alguma secretaria no governo de Rubem Vieira (Podemos).
Publicidade
Sua função como assessor especial na Câmara, contou ele à reportagem, será atuar junto ao presidente, principalmente (mas não exclusivamente) nas questões relativas ao Direito.
André Amorim, no seu gabinete, quando ainda era vereador: ele volta a circular nos corredores da Câmara, mas agora em outra função - Divulgação
André Amorim, no seu gabinete, quando ainda era vereador: ele volta a circular nos corredores da Câmara, mas agora em outra funçãoDivulgação