Há mais de 100 dias os vinte e dois leitos de UTI, credenciados na rede SUS que atendem o Noroeste Fluminense, estão completamente tomados.  - Foto: reprodução internet
Há mais de 100 dias os vinte e dois leitos de UTI, credenciados na rede SUS que atendem o Noroeste Fluminense, estão completamente tomados. Foto: reprodução internet
Por Lili Bustilho
Bom Jesus do ItabapoanaHá mais de três meses lotada. Assim está a unidade de Tratamento Intensivo (UTI/Covid), do Hospital São Vicente de Paulo, em Bom Jesus do Itabapoana, a única compactuada com o Sistema Único de Saúde, SUS, para receber pacientes graves portadores do coronavírus no Noroeste Fluminense. O Dia fez contato com a Secretaria de Estado de Saúde (SES) sendo informado que “não há, no momento, previsão para a regulação de novos leitos no Hospital São Vicente de Paula”.

De acordo com o último boletim divulgado, há 100 dias os vinte e dois leitos credenciados junto à Secretaria Estadual, estão completamente tomados e abertura de novas vagas, dependeria então de dois fatores: a desejada alta do paciente hospitalizado e o mais triste, o seu óbito. Informações de natividadenses, por exemplo, apontam que algumas famílias nos últimos dias tinham como a única opção inicial a transferência para a cidade de Volta Redonda, no Sul Fluminense, distante 355 quilômetros do município. Após muita luta, duas mulheres acabaram conseguindo vagas na unidade da Região e um terceiro paciente que seria homem deveria seguir para a cidade do aço.