Projeto teve início em 2014, na primeira gestão do prefeito, Alfredo Paulo Marques Rodrigues, o Alfredão, e desde então seu sucesso tem conquistado o público de várias partes do Brasil, como Brasília (2015), Minas Gerais (2016) e Rio de Janeiro (2019).  - Foto: divulgação/PMI
Projeto teve início em 2014, na primeira gestão do prefeito, Alfredo Paulo Marques Rodrigues, o Alfredão, e desde então seu sucesso tem conquistado o público de várias partes do Brasil, como Brasília (2015), Minas Gerais (2016) e Rio de Janeiro (2019). Foto: divulgação/PMI
Por Lili Bustilho
ITAPERUNA - Com um repertório de grandes sucessos nacionais e internacionais, a Orquestra Retocando de Itaperuna, no Noroeste Fluminense, começou o ano apresentando online o Concerto de Abertura da Temporada 2021. A apresentação foi transmitida, na noite desta segunda-feira, 25, pela página oficial da Prefeitura, no facebook.

A Orquestra é um projeto do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos da Secretaria Municipal de Assistência Social, Trabalho e Habitação, que tem o objetivo de levar a música e mudar a história de vida de crianças, adolescentes e adultos em situação de vulnerabilidade social. O projeto teve início em 2014, na primeira gestão do Prefeito, Alfredo Paulo Marques Rodrigues, o Alfredão, e desde então seu sucesso tem conquistado o público de várias partes do Brasil, como Brasília (2015), Minas Gerais (2016) e Rio de Janeiro (2019).

Atualmente são cerca de 20 músicos que levam não só o toque das notas, mas também suas histórias de superação. De acordo com o Maestro responsável pelo projeto, André Codeço, que conhece muito de perto toda a trajetória da Orquestra, a meta para este ano é atrair 400 novos inscritos, desde criança a pessoas da terceira idade, e realizar diversos concertos, inclusive um temático. Por conta da pandemia, as aulas serão ministradas online e as provas serão em forma de recitais.

Durante a live, o Maestro apresentou parte da equipe que emocionou os internautas, na noite de apresentação. Foram 18 integrantes que levaram o público à uma viagem de vários sucessos da música clássica e popular, que são marcas registradas nas apresentações, como obras do compositor Ary Barroso, Brasileirinho, de Waldir Azevedo, Baiãozinho, de Vinícius de Moraes, Garota de Ipanema, de Tom Jobim, Viva La Vida, de Cold Play, entre outras. Na ocasião, os músicos também fizeram uma linda homenagem ao saudoso Maestro Itaperunense, José Carlos Ligiero, morto em 2017, tocando uma de suas composições.

André também destacou a participação de quatro ex-alunos do projeto que hoje são professores de música. “Esses professores estão aqui não só para formar, mas para apresentar a essas pessoas novos horizontes, música e esperança”, disse.

No que se diz respeito à superação, a Orquestra Retocando tem essa marca. “A superação aqui não é só individual, mas em grupo. A presença desses ex-alunos e agora professores é a maior prova disso. Eles não teriam destino na vida como tem hoje se não fosse a presença do poder público oferecendo uma nova saída, uma nova visão, uma possibilidade diferente de realidade para eles. Todos os integrantes têm que lidar não só com as dificuldades de estar ali estudando, mas também de seguir o sonho quando existe na comunidade uma ideia que a música não vai render frutos para eles. Então eles se superam não só como músicos, mas como pessoas todos os dias. Porque é um desafio à própria realidade deles mesmos”, contou André.

Para o Secretário de Assistência Social, Trabalho e Habitação, Óliver Trajano, a Orquestra já entrou para a história da cidade. “Esse trabalho é tão importante para Itaperuna que desde seu início vem conquistando seu espaço. Vamos continuar trabalhando para que esse projeto cresça ainda mais, mudando a história de muita gente”, destacou.
Atualmente são cerca de 20 músicos que levam não só o toque das notas, mas também suas histórias de superação. - Foto: divulgação/PMI
Atualmente são cerca de 20 músicos que levam não só o toque das notas, mas também suas histórias de superação.Foto: divulgação/PMI
Publicidade
Atualmente são cerca de 20 músicos que levam não só o toque das notas, mas também suas histórias de superação. - Foto: divulgação/PMI
Atualmente são cerca de 20 músicos que levam não só o toque das notas, mas também suas histórias de superação.Foto: divulgação/PMI