Deputado Welberth Rezende junto com o governador na Feira Brasil Offshore, em Macaé, em 2019 - Arquivo
Deputado Welberth Rezende junto com o governador na Feira Brasil Offshore, em Macaé, em 2019Arquivo
Por José Eduardo Vieira
Macaé - Vídeos, fotos e matérias de jornais registram a relação próxima entre os deputados estaduais de Macaé, Welberth Rezende (Cidadania) e Chico Machado (PSD), junto ao governador Wilson Witzel (PSC) afastado nesta sexta-feira (28) pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) por denúncias de corrupção no setor da Saúde.
No entanto, a mudança nos rumos da gestão do Rio de Janeiro baseada nas investigações que apontam fraudes em licitações realizadas em função da pandemia do Coronavírus (Covid-19), causam um impacto diferenciado na imagem política dos parlamentares, que hoje seguem caminhos opostos em virtude das eleições municipais.
Publicidade
Pré-candidato a prefeito de Macaé, Welberth Rezende registra em suas redes sociais uma sequência de agendas oficiais com Witzel que indicam a sua proximidade com o governador e membros da alta cúpula do Estado. Apesar de não declarar oficialmente ser membro da base aliada do governador, Welberth fez a defesa de Witzel em diversos momentos, dentro e fora do plenário da Assembleia Legislativo do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), e o acompanhou em agendas oficiais cumpridas por Witzel em Macaé e cidades da região.
Werlbeth faz parte da lista dos 25 deputados que compõem a Comissão Especial formada pela Alerj para conduzir o processo de impeachment do governador, baseado nas mesmas denúncias que geraram o afastamento determinado pelo STJ.
Publicidade
Procurado por O Dia, Welberth disse que já esperava o afastamento do governador e que torce para o vice-governador Cláudio Castro na reorganização da gestão pública do Estado. "Sinceramente já esperava que isso pudesse acontecer por tudo que estamos acompanhando nos autos do processo de impeachment que tramita na Alerj. As denuncias são muito contundentes e graves. A sociedade fluminense precisa de uma resposta de tudo que envolveu essa crise na saúde. Torço para que o vice-governador tenha sabedoria para conduzir o Estado no trilho do crescimento e desenvolvimento", disse. 
Chico Machado conversa com Wilson Witzel em visita a Feira Brasil Offshore, em Macaé - Arquivo
Publicidade
Já Chico Machado conduziu o mandato em ações mais internas da Alerj, embora apresente também no histórico do seu mandato trabalhos legislativos realizados com o governador.
Com o crescimento das suas articulações junto a presidência da Assembleia, Chico foi eleito presidente da Comissão Especial da Alerj que analisa o processo de impeachment do governador. O trabalho segue suspenso por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), em virtude de questionamentos apresentados por advogados de Witzel.
Publicidade
Procurado por O Dia, Chico Machado afirmou que o trabalho da Alerj é garantir a população fluminense respostas sobre um processo que afeta, de forma direta, o equilíbrio de todo o Estado. O parlamentar apontou ainda que respeita o trabalho realizado pelo STJ e pelo STF, e que aguarda os novos procedimentos indicados pela Justiça para garantir a continuidade da apuração sobre os fatos que envolvem o governador.