Prefeito, Dr Aluizio, anunciou as medidas por meio de um vídeo postado nas redes sociais.  - Reprodução/Facebook
Prefeito, Dr Aluizio, anunciou as medidas por meio de um vídeo postado nas redes sociais. Reprodução/Facebook
Por Bertha Muniz


MACAÉ- O prefeito de Macaé, Dr Aluizio, anunciou, por meio de um vídeo postado nas redes sociais, na noite desta sexta-feira (4), a suspensão das cirurgias eletivas nas redes pública e privada do município. Além disso, foi criada uma gestão única para os leitos de UTI disponíveis na cidade. Sendo assim, as vagas tanto no SUS, quanto nos hospitais particulares, passam a ser gerenciadas pela instituída Central Única de vagas de terapia intensiva para pacientes portadores de Covid-19 em Macaé.
A partir de agora, não haverá preferência entre pacientes da rede pública, particular e convênio quanto à disponibilidade de leitos em toda rede hospitalar da cidade. As medidas foram publicadas por meio de decreto, no Diário Oficial desta sexta-feira (4), e terão validade até o dia 31 deste mês. Ainda no vídeo, Dr Aluizio afirmou que nenhuma das atividades já liberadas na cidade serão suspensas, mesmo após o município ter voltado à faixa laranja, que significa alto risco de contágio pela doença.

O critério de utilização dos leitos será sua disponibilidade e a gravidade do quadro do paciente. Se forem esgotados os leitos do SUS para pacientes com Covid-19 que necessitem de vaga em terapia intensiva em Macaé, eles serão encaminhados aos hospitais particulares e de convênios (Hospital da Unimed, Clínica São Lucas e Hospital São João Batista).

"A gente chegou no pior momento da pandemia em Macaé. Hoje o risco é muito grande. A doença avançou de forma assustadora nas últimas semanas. A gente está fazendo tudo o que é possível. Mas é fundamental que o cidadão tenha responsabilidade com esse momento. É preciso manter, efetivamente, todo o cuidado", disse Dr. Aluizio em um vídeo postado hoje à noite no Facebook.

Macaé entrou na zona laranja, considerada de risco alto. A taxa de ocupação de leitos de terapia intensiva SUS Covid-19 chegou a 64%. Desde o início da pandemia, Macaé tem 11.316 casos de coronavírus confirmados, com 195 óbitos. Um trecho do decreto desta sexta-feira destaca que "é dever de todo gestor público zelar pela vida e pelo bem-estar de seus concidadãos, ainda que seja obrigado pelas circunstâncias a fazer sacrifícios e a adotar medidas duras e impopulares na defesa dessas vidas".

Comércio não será fechado

Dr. Aluizio frisou que o fechamento de estabelecimentos comerciais está descartado. "Nada será fechado no município. A gente não vai fechar comércio, nem restaurante, nem academia. Porém, é necessário o uso da máscara, o distanciamento social e todas as medidas preventivas que a população já conhece. A partir de agora, todos nós temos o mesmo risco. Agora é cada um cuidando do outro de forma efetiva. Vamos torcer para que tudo dê certo", destacou o prefeito.

Aulas e atividades laborais seguem suspensas

As aulas na rede municipal de ensino pública e privada, incluindo as instituições de ensino superior, permanecem suspensas até o dia 31 de dezembro. Continua autorizado o funcionamento, de 10h às 16h, das atividades administrativas e pedagógicas nas instituições de ensino desde que não causem aglomeração.

Também permanecem suspensas até o dia 31 de dezembro as atividades laborais no município de Macaé, nos âmbitos público e privado, exceto as que já tiveram a retomada autorizada. A prorrogação de prazo se estende aos servidores públicos municipais idosos com 60 anos ou mais, gestantes e portadores de doenças oncológicas e/ou autoimunes.

Ficam mantidas todas as outras disposições e prazos citados nos decretos municipais anteriores que estabelecem diretrizes, determinações e orientações para o combate à disseminação do coronavírus no município de Macaé.

O descumprimento das normas estabelecidas neste decreto pode acarretar a cassação do alvará de funcionamento pela Secretaria Municipal de Fazenda, além das penalidades previstas nos artigos 268 e 330 do Código Penal Brasileiro.