O presidente da Câmara de Vereadores de Macaé, Cesinha, do Pros se reuniu, nesta semana, como o presidente da Associação Comercial e Industrial de Macaé (Acim), Olavo Pinheiro - Foto: Divulgação.
O presidente da Câmara de Vereadores de Macaé, Cesinha, do Pros se reuniu, nesta semana, como o presidente da Associação Comercial e Industrial de Macaé (Acim), Olavo PinheiroFoto: Divulgação.
Por Bertha Muniz
O presidente da Câmara de Vereadores de Macaé, Cesinha, do Pros se reuniu, nesta semana, como o presidente da Associação Comercial e Industrial de Macaé (Acim), Olavo Pinheiro, para tratar da desburocratização do sistema macaense através de uma parceria com o Legislativo.

Segundo o vereador, para atrair novas empresas, gerando emprego e renda na cidade, aumentando a arrecadação do município, há uma necessidade latente de desburocratizar a máquina pública.
“Nossa prioridade é defender a economia e a geração de empregos, mas para isso precisamos desburocratizar o sistema público”, resumiu Cesinha.
Publicidade

Um bom exemplo disso, é a demora a demora na concessão do alvará que autorize a construção de uma nova termelétrica no município, que vem atrasando a criação de 1.500 postos de trabalho só no período das obras. “Em tempos de crise como o que estamos passando, não podemos aceitar isso”, frisou Cesinha.
Macaé possui hoje duas unidades termelétricas funcionando e a construção desta terceira, no Complexo Logístico e Industrial com capacidade de 565,5 MW, produzirá energia suficiente para abastecer dois milhões de casas.