O prefeito Renato Cozzolino afirmou que vai continuar investindo nas feiras e pretende expandir a economia criativa conforme o crescimento de artesãos adeptos.
O prefeito Renato Cozzolino afirmou que vai continuar investindo nas feiras e pretende expandir a economia criativa conforme o crescimento de artesãos adeptos.Phelipe Santos/Prefeitura de Magé
Por O Dia
Magé - Para movimentar a economia local e valorizar os artesãos da cidade, a Prefeitura de Magé inaugurou no último sábado (15) a Feira de Economia Criativa, na Praça 7 de Setembro, em Piabetá. No local é possível encontrar artesanato em geral com preço justo e qualidade.

“Magé tem uma carência na geração de empregos e temos que incentivar ações como essa. Hoje estamos dando oportunidade para que os artesãos da nossa cidade possam trabalhar e garantir o sustento diário para sua casa, isso para nós é gratificante. Vamos continuar investindo nessas feiras e conforme o número de artesãos cadastrados forem crescendo, vamos expandindo”, garante o prefeito Renato Cozzolino.

Criatividade é uma coisa que não falta. Ao todo, 32 artesãos vendem seus produtos, como o Ronny dos Santos, mais conhecido como Rocha Grafite. Ele trabalha com aerografia, uma técnica de pintura e ilustração que utiliza o aerógrafo para a execução das peças.

“Trabalho com foco na arte urbana com quadros que reciclo de eucatex, porque tenho facilidade de pintar com o aerógrafo. Consigo reproduzir também qualquer tipo de desenho em camisas, capacetes, portas de aço, triciclos, dentre outros e tudo com preço justo. Quero agradecer a oportunidade de expor meu trabalho e essa feira veio me ajudar financeiramente, porque estávamos basicamente parados com a pandemia”, agradece o artista morador do 1º distrito.

O início da feira também foi especial para Dona Marlene, conhecida como Marlene Bonecas. Ela conta que o trabalho com artesanato auxilia nas contas de casa e que ama fazer bonecas. São mais de 25 anos bordando, costurando e criando o brinquedo favorito das meninas.

“Fiquei muito tempo parada por conta da pandemia e não estava nem trabalhando. Hoje é o primeiro dia da feira e quando fiquei sabendo que as inscrições estavam abertas vim correndo me inscrever. Trabalhar com artesanato melhora a nossa mente e a gente consegue um dinheiro para se manter também. Amo fazer bonecas, elas são minha distração e faço com maior carinho e cuidado. Tem bonecas que são feitas a mão e outras na máquina, temos variedades também nos tamanhos”, contou a artesã.

A feira é organizada pela Fundação Educacional e Cultural de Magé (FECM) e foi criada para fomentar a economia local.

“Criamos essa feira para fomentar a economia local e organizar os artesãos que estavam espalhados pelo município. Escolhemos iniciar a feira aqui em Piabetá, porque é o coração econômico da cidade e traz mais visibilidade ao trabalho deles. Nossa ideia é estender o horário até a noite para abranger as pessoas que trabalham longe e querem vir à feira. Vamos colocar também atrações musicais e culturais para não ser uma simples feira, mas um local de múltiplas culturas”, explica Luiz Otavio Rosário Junior, presidente da FECM.

Segundo a FECM ainda há vagas para participar da feira e o artesão precisa se inscrever na sede da Fundação, que funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na Avenida Padre Anchieta - 202 - Centro. Além disso, a Prefeitura promoverá uma capacitação com o Sebrae para aqueles que desejam se formalizar.

“A Fundação junto com a Secretaria de Trabalho, Emprego e Geração de Renda e o Sebrae promovem no dia 25 de maio uma palestra para formalização e capacitação dos artesãos que ainda não são formalizados. Vão ajudar também a abrir o MEI, conseguir crédito e apoio na capacitação deles”, ressalta Luiz Otavio.
 
Feira de Economia Criativa: 32 artesãos vendem seus produtos todos os sábados das 9h às 18h. - Divulgação: Phelipe Santos/Prefeitura de Magé
Feira de Economia Criativa: 32 artesãos vendem seus produtos todos os sábados das 9h às 18h.Divulgação: Phelipe Santos/Prefeitura de Magé
Publicidade