A Emirates anunciou  que 10 passageiros ficaram doentes em um voo de 14 horas de Dubai para Nova York - AFP photo/ Johannes Eisele
A Emirates anunciou que 10 passageiros ficaram doentes em um voo de 14 horas de Dubai para Nova YorkAFP photo/ Johannes Eisele
Por O Dia

Nova York - Um avião foi colocado em quarentena no Aeroporto Kennedy, em Nova York, depois que cerca de dez passageiros ficaram doentes a bordo de um voo vindo de Dubai. A aeronave pousou na cidade às 9h10 desta quarta-feira.

Segundo a companhia aérea, os passageiros estavam recebendo atendimento médico "como precaução".

As equipes médicas do aeroporto John F. Kennedy (JFK) examinaram os passageiros "um por um" para verificar possíveis sintomas e decidir se os deixariam desembarcar ou não, declarou Eric Phillips, porta-voz do prefeito de Nova York, Bill de Blasio.

Foram mais de 500 as pessoas submetidas à revisão médica dentro da aeronave, e os 10 afetados foram levados ao Hospital Jamaica da cidade.

Cerca de 250 passageiros puderam deixar o avião pouco depois das 11h30 locais (12h30 de Brasília), detalhou Phillips em um tuíte.

Segundo Phillips, o caso poderia se tratar de uma epidemia de gripe, já que algumas das 521 pessoas a bordo chegaram de Meca, onde atualmente a doença está no auge.

Sem usar o termo "quarentena", a agência da Autoridade Portuária, que administra os aeroportos de Nova York e Nova Jersey, confirmou que a aeronave havia sido conduzida para "longe do terminal" para que as equipes médicas dos Centros de Controle e Prevenção pudessem "avaliar e tratar a situação".

A emissora local ABC, que falava de dúzias de passageiros doentes, transmitiu imagens de uma série de veículos de emergência que estacionaram na pista perto do avião.

Imagens aéreas do local mostraram o avião na pista, cercado por ambulâncias, funcionários e veículos do aeroporto.

Os passageiros estavam desembarcando com suas bagagens e entrando em ônibus. Representantes dos Centros de Controle de Doenças e de Prevenção estavam trabalhando na situação.

Uma divisão da polícia de contraterrorismo de Nova York publicou, pelo Twitter, que parece se tratar apenas de uma "situação médica".,

*Com informações do Estadão Conteúdo e da AFP

Você pode gostar