Após terremoto e tsunami, vulcão entra em erupção na Indonésia

Segundo especialistas, catástrofes podem ter acelerado processo no monte Supotan

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Coluna de fumaça cobriu parte do céu da Indonésia após vulcão entrar em erupção
Coluna de fumaça cobriu parte do céu da Indonésia após vulcão entrar em erupção -

Indonésia - Um vulcão entrou em erupção nesta quarta-feira, 3, na ilha de Sulawese, na Indonésia, a mesma região que registrou dois terremotos e um tsunami na semana passada. O monte Supotan expeliu uma coluna massiva de cinzas a mais de 6 mil metros no céu. Um alerta foi enviado ao tráfego aéreo na região, já que a cinza vulcânica é capaz de danificar os motores de aeronaves, mas nenhuma ordem para que a população saia da região foi emitida.

Segundo o vulcanologista Kasbani, chefe da Agência de Vulcanologia e Geologia da Indonésia, é possível que a erupção tenha sido acelerada pelo terremoto de sexta-feira, de magnitude 7,5. "Pode ser que o terremoto tenha provocado a erupção, mas nós estávamos observando um aumento na atividade vulcânica desde julho, e havia aumentado mais ainda na segunda-feira. No entanto, ainda não podemos dizer que há uma relação direta", explicou.

Para o geólogo Danny Natawidjaja, do Instituto de Ciências da Indonésia, ainda não há dados suficientes para fazer a conexão entre os dois fenômenos. "A princípio, as ondas sísmicas do terremoto poderiam aumentar a pressão sobre a câmara magmática e poderiam causar uma erupção. Não sabemos ao certo."

Ele citou o exemplo da erupção do Monte Talang, na província de Sumatra, em abril de 2005 que, segundo especialistas, estava conectado ao devastador terremoto e tsunami no Oceano Índico, em 2004.

Para o geofísico Nazli Ismail, da Universidade de Syiah Kuala, a erupção do Soputan não é surpresa, já que a Indonésia está localizada na região sismicamente ativa do Oceano Pacífico, chamada Anel de Fogo, e o Soputan é um dos mais ativos vulcões na ilha.

O porta-voz da agência nacional de desastres, Sutopo Nugroho, rejeitou as preocupações de que a erupção possa afetar os aviões que transportam ajuda e suprimentos para as áreas afetadas pelo terremoto e tsunami.

Até o momento, os desastres causaram 1.407 mortes e, segundo autoridades, o número pode aumentar. Além disso, milhares de pessoas estão feridas e mais de 70 mil tiveram que fugir de suas casas.

Últimas de Mundo & Ciência