Coletes amarelos derrotam Macron

s

Por

Presidente francês, Emmanuel Macron -

O presidente francês Emmanuel Macron voltou atrás na proposta de aumentar os combustíveis em janeiro de 2019. Ele adiou uma definição sobre o tema por seis meses. O anúncio foi feito ontem, pelo primeiro-ministro Édouard Philippe, em resposta às inúmeras manifestações que assolaram a França nas últimas semanas, lideradas pelos chamados 'coletes amarelos'. Além da revogação do aumento dos impostos, que encareceriam os combustíveis, o governo também anunciou a suspensão da alta das tarifas do gás e de energia elétrica até o fim do inverno.

Segundo Philippe, "nenhum imposto merece pôr em perigo a unidade da nação" e é preciso estar "cego ou surdo" para não perceber a revolta do povo francês diante das decisões de Macron.

Apesar de amenizar os conflitos, o recuo não agradou totalmente os manifestantes, que a classificaram como "insuficiente". De acordo com Benjamin Cauchy, um dos representantes do movimento dos coletes amarelos, a medida é uma "migalha". O grupo exige que a proposta de aumento seja abandonada em definitivo.

Macron defende o aumento tributário em prol de uma economia sustentável, mas os franceses acreditam que o presidente favorece a classe mais alta do país.

 

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência